Polêmica: Zara e outras lojas reabrem na França com filas na entrada

Depois de meses de bloqueio devido à pandemia de coronavírus, o comércio voltou à ativa na capital e em outras cidades francesas

atualizado 13/05/2020 11:02

loja da Zara com pessoas na frente Samuel Boivin/NurPhoto via Getty Images

Na França, milhares de estabelecimentos, empresas e escolas serão reabertos gradualmente nesta semana. Após dois meses de bloqueio total, o comércio voltou a funcionar, nessa segunda-feira (11/05), na capital e em outras cidades. No entanto, funcionários e clientes devem respeitar as medidas de segurança contra a propagação do novo coronavírus. Entre os espaços físicos que retornaram à ativa, Zara e Louis Vuitton geraram aglomeração com filas na entrada.

Vem comigo saber mais!

franceses com sacolas de compras na rua
Franceses voltam às compras depois de 55 dias com o comércio fechado

 

Atualmente, a França é o sexto país no mundo com mais casos de Covid-19. Contudo, após o período de distanciamento social, o país registra o menor índice de mortes pelo coronavírus desde 17 de março.

Para a volta das atividades, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou “vigilância extrema”. O objetivo é evitar um novo aumento de pessoas contagiadas pela doença.

Uma das regras implantadas no país, por exemplo, é que cada loja só pode receber quatro clientes simultaneamente. Além disso, avisos espalhados pelo país lembram que é preciso manter distância mínima de 1 metro de outras pessoas. Alguns shoppings criaram um sistema com setas no chão para evitar que os clientes cruzem os caminhos.

aviso de reabertura de loja
Parte do comércio voltou a funcionar na França nessa segunda-feira (11/05)

 

mulher com máscara e sacola de compras
O cuidado terá que ser grande para que a flexibilização não gere uma nova onda de casos de Covid-19

 

mulher com máscara e sacola de compras
Apenas quatro clientes podem ficar em cada loja simultaneamente

 

interior de shopping com setas no chão para evitar aglomeração
Shoppings colocam setas no chão para que clientes não fiquem próximos

 

Mesmo com as orientações, filas foram formadas em frente a lojas em Paris. Na Rue de Rivoli, por exemplo, um ponto da Zara chamou atenção pela quantidade de franceses juntos na porta, esperando para entrar. Na famosa avenida Champs-Élysées, a boutique da Louis Vuitton também causou alvoroço.

loja da Zara com pessoas na frente
Clientes não respeitaram as recomendações contra proximidade física em reabertura da Zara, na Rue de Rivoli

 

loja da Louis Vuitton com pessoas na frente
A volta das atividades da Louis Vuitton, na Champs-Élysées, também gerou aglomeração

 

Nas redes sociais, o assunto deu o que falar. Muitas pessoas criticaram a formação de filas para compras e defenderam que a população continue saindo de casa apenas quando for essencial.

“A Zara continua vendendo on-line, por que correr tanto risco com itens que você pode comprar pela internet?”, postou uma internauta no Twitter. “Existem realmente idiotas que estão se aglomerando no primeiro dia da Zara?”, questionou outro usuário.

 

 

Nesta semana, a França também passou a permitir atividades ao ar livre. A flexibilização engloba ainda o fim do porte obrigatório de documento justificando o motivo para sair de casa. Restaurantes e cafés só devem reabrir depois de junho. No transporte público, o uso de máscaras de proteção é obrigatório.

 

Colaborou Rebeca Ligabue

Últimas notícias