Tensões raciais no Brasil são “alheias à nossa história”, diz Bolsonaro

Para o presidente, há apenas quem quer criar " o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças"

atualizado 21/11/2020 14:30

XII Cúpula de Líderes do BRICSMarcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aproveitou reunião da cúpula do G-20 realizada virtualmente na manhã deste sábado (21/11) para negar que exista racismo no Brasil. Para ele, há quem busque destruir a essência miscigenada brasileira “e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças, sempre mascarado por luta por igualdade e justiça social, tudo em busca de poder”.

“Antes de adentrarmos o tema principal desta sessão, quero fazer uma rápida defesa do caráter nacional brasileiro em face das tentativas de importar para o nosso território tensões alheias à nossa história”, disse Bolsonaro na abertura do discurso.

De acordo com o presidente, o objetivo com isso é subjugar o povo brasileiro. “Existem diversos interesses para que se criem tensões entre nós. Um povo unido é um povo soberano. Dividido, é vulnerável. E o povo vulnerável pode ser mais facilmente controlado e subjugado. Nossa liberdade é inegociável”, continuou.

Assim, na sua visão, “aqueles que instigam o povo a discórdia fabricando e promovendo conflitos atentam não somente contra a nação, mas contra a nossa própria história”.

Na fala, de pouco mais de dois minutos divulgada no Twitter, ele afirmou ainda que enxerga “todos com as mesmas cores: verde e amarelo”. “Não existe uma cor de pele melhor do que a outra, o que existem são seres humanos bons e maus. E são nossas escolhas e valores que determinarão em qual dos dois grupos nos incluimos”, afirmou.

Esta é a segunda vez que o presidente usa a rede social para falar sobre as repercussões do assassinato João Alberto Silveira Freitas por dois seguranças de uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre (RS). Freitas era um homem negro de 40 anos e fazia compras na loja ao lado da mulher.

A morte gerou uma onda de protestos contra o racismo estrutural da sociedade brasileira. Ao comentar o caso nessa sexta-feira (20/11), Bolsonaro disse ser daltônico por ver todas as pessoas da mesma cor. O discurso deste sábado também ecoa as palavras do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), que afirmou não existir racismo no Brasil e que esse é um problema que tentam importar para cá.

Veja a fala completa do presidente Jair Bolsonaro:

Últimas notícias