PEC Emergencial: Lira diz que Congresso não vai furar teto de gastos

Deputado se reuniu às pressas, nesta quarta-feira, com ministro, equipe econômica e presidente do Senado

atualizado 03/03/2021 17:36

Presidente da Câmara dos Deputados Arthur LiraIgo Estrela/Metrópoles

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quarta-feira (3/3) que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/19 será votada sem ameaçar o teto de gastos. A chamada PEC Emergencial abre espaço para o pagamento de novas parcelas do auxílio emergencial. A declaração foi dada após reunião com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e o secretário adjunto da Fazenda, Esteves Colnago.

“Essa fala é para deixar claro que todas as especulações que rondaram o dia de hoje são infundadas. Tanto o Senado quanto a Câmara votarão a PEC sem nenhum risco ao teto de gastos. Sem nenhuma excepcionalidade ao teto de gasto”, declarou Lira.

O presidente da Câmara se reuniu com Ramos, Colnago, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), antes do início da votação da proposta no Senado.

Na terça-feira (2/3), parlamentares estavam articulando a votação da proposta com o pagamento do Bolsa Família fora do teto de gasto, o que acendeu o alerta na equipe econômica do governo. O ministro se reuniu às pressas com parlamentares fora da agenda.

Lira disse que a PEC terá tramitação especial na Casa e aguarda a proposta chegar do Senado para enviar direto ao plenário da Câmara.

 

Últimas notícias