Doria agradece Anvisa por liberação da Coronavac: “Será a vacina do Brasil”

Após discussão pública com Bolsonaro, o governador de São Paulo elogiou postura independente da agência que liberou compra da vacina chinesa

atualizado 24/10/2020 18:22

Coletiva de imprensa com o Governador João Doria, no salão Azul do senado FederalHugo Barreto/Metrópoles
Depois de uma semana de disputa pública com o presidente Jair Bolsonaro sobre a compra de vacinas, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), publicou, na tarde deste sábado (24/10), em sua conta no Twitter, um agradecimento à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pela liberação de importação da vacina chinesa, conhecida como Coronavac, cuja tecnologia será a base para a produção do insumo pelo Instituto Butantan.
“Agradeço a postura coerente e autônoma da Anvisa, ao liberar compra inicial de 6 milhões de doses da Coronavac. Reforçamos a importância da liberação de insumos para a produção das outras 40 milhões de doses. A Coronavac será produzida em SP, no Butantan. Será a vacina do Brasil”, disse Doria.

“Agradeço a postura coerente e autônoma da Anvisa, ao liberar compra inicial de 6 milhões de doses da Coronavac. Reforçamos a importância da liberação de insumos para a produção das outras 40 milhões de doses. A Coronavac será produzida em SP, no Butantan. Será a vacina do Brasil”.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB)

A discussão sobre a compra do imunizante chinês foi motivo de constrangimento entre o presidente e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que, na terça-feira (20/10) havia garantindo a compra em reunião com 24 governadores. No dia seguinte, Bolsonaro desautorizou o ministro, dizendo que não haverá compra das doses prometidas por Pazuello.

0

A vacina é produzida pelo laboratório chinês Sinovac, a pedido do Instituto Butantan em caráter excepcional, foi autorizada pela Anvisa na tarde de sexta-feira (23/10). Além desse lote com 6 milhões de doses da vacinas, o Ministério da Saúde havia se comprometido com a compra de mais 40 milhões de doses da produção em larga escala, que será feita pelo Butantan.

 

Últimas notícias