*
 

Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR), na noite desta quarta-feira (5/12), pedido de providências sobre o episódio envolvendo o advogado Cristiano Caiado de Acioli e o ministro Ricardo Lewandowski em voo da Gol. As informações são do site O Atagonista. Outro ofício idêntico foi enviado ao Ministério da Segurança Pública.

Nessa terça (4), em um voo de São Paulo para Brasília, após ouvir que o Supremo é uma “vergonha”, o ministro questionou se o advogado queria ser preso e pediu aos comissários da aeronave que chamassem agentes da Polícia Federal.

Também na terça, o Movimento Brasil Livre (MBL) projetou uma mensagem indignada no prédio da Corte: “Vergonha STF”.

“Solicito que sejam adotadas as providências cabíveis quanto aos fatos narrados pela Secretaria de Segurança desta Corte e consistentes em ofensas dirigidas ao Supremo Tribunal Federal, ocorridos, na data de ontem, com o senhor ministro Ricardo Lewandowski, em voo comercial que partiu de São Paulo com destino a Brasília”, disse o presidente do Supremo.