Em vídeo no Twitter, deputada Joice Hasselmann diz ter celular clonado

A parlamentar usou as redes sociais para denunciar a suposta invasão. Casos semelhantes ocorreram com Sergio Moro e procuradores

Reprodução/TwitterReprodução/Twitter

atualizado 21/07/2019 18:25

Neste domingo (21/07/2019), a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) usou o Twitter para denunciar uma suposta invasão ao seu celular. Segundo a parlamentar, hackers enviaram recados aos seus contatos. A congressista diz ter acionado a polícia para investigar o caso.

“Em meu nome bandidos mandaram mensagens para jornalistas. Também recebi ligações do meu próprio número exatamente como aconteceu com (o ministro da Justiça e Segurança Pública) Sergio Moro”, escreveu na rede social.

Ela considerou o fato “extremamente grave”. “Há farsantes enviando mensagens em meu nome no Telegram”, contou. Segundo a deputada, ela usou o aplicativo somente durante a campanha eleitoral de 2018. “Esses bandidos precisam ir para a cadeia”, ressaltou.

Joice contou em vídeo (foto em destaque) que comunicou o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e também Sergio Moro. “Vão usar todo tipo de sujeira para manchar o meu nome, mas vamos em frente”, concluiu.

Em junho deste ano, Moro também revelou que seu celular foi invadido por um hacker. O invasor teria acessado aplicativos do aparelho e trocado várias mensagens com os contatos do ex-juiz da Lava Jato. O ministro pediu o cancelamento da linha e trocou de telefone. O caso já está sob investigações da Polícia Federal (PF).

Segundo a PF, os ataques a celulares de autoridades ligadas à Operação Lava Jato começaram pelo celular do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, em abril deste ano. A partir do Telegram instalado no aparelho dele, o invasor teria então chegado aos grupos de conversa com procuradores. Assim, o hacker conseguiu os números de celulares dos integrantes.

Depois, procuradores da Lava Jato no Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro tiveram os smartphones invadidos. Todos os telefones de procuradores do Paraná teriam tido o aplicativo remexido, mas ainda não se sabe quais conversas foram copiadas.

O site The Intercept Brasil tem divulgado trechos de conversas dos procuradores no Telegram. As autoridades citadas no conteúdo não confirmam a autenticidade das mensagens.

Veja a mensagem publicada pela deputada:

Últimas notícias