Lava Jato: PF faz buscas em investigação sobre Paulo Preto

O ex-diretor da Dersa foi condenado a mais de 145 anos de prisão por comandar esquema de desvio de verbas públicas

atualizado 29/10/2019 10:01

JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), cumpre 11 mandados de busca e apreensão em mais uma etapa da Operação Lava Jato de São Paulo. Os alvos são familiares e pessoas ligadas ao ex-diretor da Dersa Desenvolvimento Rodoviário S/A Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto.

As investigações apontam para a prática de crime de lavagem de dinheiro cometido pelo operador financeiro ligado ao PSDB com a participação de parentes e prestadores de serviços. Os mandados são cumpridos em São Paulo, Taubaté, Ubatuba, Taboão da Serra e Itapetininga.

A PF apura possível “participação na gestão de pessoas jurídicas usadas para a prática de atos de lavagem, bem como em ocultação de documentos”.

Paulo Vieira de Souza foi condenado a mais de 145 anos de prisão por comandar um esquema de desvio de verbas públicas, além de 27 anos por ter atuado na formação de cartel de construtoras para obras da Dersa no Rodoanel Sul e no Sistema Viário de São Paulo. Por fim, ele responde a processo na Justiça Federal de São Paulo por crimes de corrupção e lavagem internacional.

A Operação Pasalimani decorre de aprofundamento nas investigações quanto a atos de lavagem de dinheiro, obtido a partir de outros delitos cometidos por Paulo Vieira, como peculato e corrupção.

Últimas notícias