MPSP apura se há omissão da prefeitura na morte de moradores de rua

Promotor de Justiça solicitou informações de mortes em vias públicas desde a implementação da Operação Baixas Temperatura

atualizado 21/07/2021 20:33

Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O Ministério Público de SP abriu uma investigação para averiguar possíveis omissões da prefeitura da capital paulista sobre mortes de moradores em situação de rua em noites frias da cidade.

Segundo o Movimento Estadual das Pessoas em Situação de Rua, 13 casos de mortes nestas condições foram registrados desde o começo deste ano.

Em abril, a gestão de Ricardo Nunes (MDB) implementou a Operação de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas e, segundo a administração, cerca de 13 mil pessoas foram acolhidas e mais de 13 mil cobertores doados desde então. Além disso, a prefeitura afirma que há 1.200 vagas ociosas em abrigos.

Nesta segunda-feira (19/7), o promotor de Justiça Eduardo Valério pediu à Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social informações sobre óbitos em vias públicas da capital paulista desde a implementação da operação.

A medida se dá em um momento em que a cidade de São Paulo registra baixas temperaturas. Na manhã desta terça-feira (20/7), a cidade atingiu a menor temperatura desde 2004, chegando a -2,3ºC no extremo sul paulista, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). 

Em nota ao Metrópoles, a prefeitura informou que a gestão municipal disse ainda que “está à disposição para prestar todo e qualquer esclarecimento que MP julgue necessário e reitera que desde o início da pandemia ampliou os serviços de acolhimento e desde o início do inverno realiza busca ativa em várias regiões da cidade”.

0

 

Últimas notícias