Justiça suspende investigação sobre defesa de Adélio Bispo

Decisão paralisa a apuração sobre a possibilidade de o atentado contra o então candidato Jair Bolsonaro ter um mandante

Reprodução

atualizado 01/03/2019 15:49

O desembargador Neviton Guedes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), suspendeu a investigação da Polícia Federal sobre o advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, responsável pela defesa de Adélio Bispo, agressor de Jair Bolsonaro (PSL). A informação é da revista Crusoé.

A medida paralisa a apuração sobre a possibilidade de o atentado contra o então candidato à Presidência da República ter um mandante.

A decisão atende a um pedido da Ordem dos Advogados (OAB), que questionou as medidas de busca e apreensão e de quebras de sigilo bancário e telefônico no escritório do advogado de Adélio. O desembargador determinou a suspensão de sentença que autorizou as investigações no celular do defensor.

Adélio Bispo de Oliveira, servente de pedreiro, 40 anos, atacou Bolsonaro com uma faca durante um evento de campanha em Juiz de Fora (MG), em 6 de setembro de 2018. Ele afirmou ter “cumprido uma ordem de Deus” para realizar o ato. Em seu perfil no Facebook, Adélio disseminava mensagens de ódio contra o candidato, pedindo “pena de morte” ao então presidenciável e o chamando de “traidor” e “judas”.

Últimas notícias