Justiça autoriza quebra do sigilo telefônico e eletrônico de Belo

Polícia passa a ter acesso a dados para incluir na investigação sobre o show irregular feito pelo cantor, no último dia 12, em uma escola

atualizado 05/03/2021 8:26

Reprodução

Rio de Janeiro – A juíza Ana Helena Mota Lima Valle, da 26ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, autorizou a quebra do sigilo dos dados telefônicos e eletrônicos dos aparelhos apreendidos com Marcelo Pires Vieira, o Belo.

Com isso, a polícia passa a ter acesso a esses dados para incluir na investigação sobre o show irregular feito pelo cantor, no último dia 12, em uma escola pública no Parque União, no Complexo da Maré, zona norte do Rio.

Além de Belo, Célio Caetano e Joaquim Henrique Marques Oliveira, ambos apontados como sócios da empresa Série Gold Som e Iluminação, responsável pela organização do show, tiveram a quebra de sigilo telefônico autorizada pela justiça.

O cantor e os sócios respondem por infração de medida sanitária, crime de epidemia, invasão de prédio público e associação criminosa.

O cantor Belo, através de sua equipe, afirmou ao Metrópoles que “mantém tranquilidade diante das novas diligências autorizadas judicialmente  para esclarecer o caso do show realizado e reafirma sua confiança na Justiça e na própria inocência”.

Últimas notícias