MEC anuncia o desbloqueio de 679 bolsas de pós-graduação

Ainda há outras 8 mil bolsas congeladas e algumas delas não serão retomadas, informa o Ministério da Educação

André Borges/ Especial para o MetrópolesAndré Borges/ Especial para o Metrópoles

atualizado 03/10/2019 18:53

O ministro da Educação, Abraham Weintraub (imagem em destaque), anunciou nesta quinta-feira (03/10/2019) o desbloqueio de 679 bolsas de pós-graduação. Na semana passada, a pasta liberou 3.182 que estavam bloqueadas. Contudo, somando todos os cortes já feitos, ainda há outras 8 mil bolsas congeladas.

Mesmo após o desbloqueio das mais de 3.861 bolsas, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) não voltou aos patamares de antes do contingenciamento. Isso porque, somados todos os cortes já realizados pelo Ministério da Educação (MEC) desde o início do ano, o montante chegou a 11 mil vagas bloqueadas.

O ministro da Educação, no entanto, afirmou que não existem bolsas congeladas. Ele diz que as vagas contingenciadas no primeiro semestre do ano não voltarão à ativa.

“Não existem bolsas congeladas. No começo do ano foram canceladas e não voltarão mais as bolsas que os reitores davam sem prestar contas. Essas bolsas todas acabaram. Além disso, eram bolsas ociosas, de cursos não avaliados há 10 anos”, declarou Weintraub.

Segundo o ministro, as bolsas anunciadas nesta quinta (03/10/2019) serão ofertadas a partir da próxima semana. As oportunidades são referentes aos cursos que possuem notas 5, 6 e 7, as mais bem avaliadas pela Capes.

De acordo com o MEC, a medida foi possível graças ao descontingenciamento de R$ 270 milhões para a Capes.

Os estados beneficiados serão Acre, Sergipe, Amazonas, Rondônia, Mato Grosso e Pernambuco, de acordo com a pasta.

Orçamento
O presidente da Capes, Anderson Ribeiro Correia, afirmou que o valor total disponível para o órgão é R$ 3,7 bilhões. A estimativa para o próximo ano é de R$ 3,3 bilhões.

“Não existe abundância de recursos. Você tem recursos escassos para demandas ilimitadas”, avaliou Weintraub.

Últimas notícias