Bolsa cai 11,43% após parada e ações da Petrobras desabam 29%

Mesmo após interrupção do pregão para tentar acalmar mercado, tarde desta segunda-feira segue com enorme nervosismo. Dólar vale R$ 4,74

atualizado 09/03/2020 15:55

A interrupção das negociações na Bolsa de Valores de São Paulo após queda de 10% no seu principal índice não foi suficiente para acalmar a volatilidade no mercado financeiro brasileiro, que acompanha o dia de caos no mundo inteiro. No meio da tarde desta segunda-feira (09/03), o Ibovespa operava a -11,43%, com 86.800 pontos. Se a queda bater em 15%, o circuit breaker poderá ser acionado novamente, e aí a parada será de uma hora.

O caos dos mercados reflete incertezas relacionadas ao avanço do surto de coronavírus pelo mundo e uma nova crise do petróleo, cujo preço iniciou a semana com queda acentuada.

Na esteira dessa crise, as ações da Petrobras estão em queda de quase 30%, fazendo a empresa perder mais de R$ 67 bilhões em valor de mercado apenas hoje.

O valor do dólar, que chegou perto de R$ 4,80 durante a manhã, está em R$ 4,74 durante a tarde.

O acionamento do circuit breaker é feito em três estágios, obedecendo a percentuais de desvalorização do Ibovespa. São eles:

  1. Quando o Ibovespa desvaloriza 10% em relação ao valor de fechamento do dia anterior, a negociação é interrompida por 30 minutos;
  2. Reabertas as negociações, caso o Ibovespa atinja oscilação negativa de 15% em relação ao valor de fechamento do dia anterior, a negociação é novamente interrompida, agora por uma hora;
  3. Reabertas as negociações, se a variação do Ibovespa tiver queda de 20% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, é realizado a suspensão determinada pela B3.

Histórico
O último circuit breaker foi acionado em 18 de maio de 2017, no chamado “Joesley Day“, quando foi revelado um áudio envolvendo o ex-presidente Michel Temer (MDB) e o executivo da JBS Joesley Batista. Na ocasião, a bolsa brasileira fechou o dia com uma oscilação negativa de 8,8% na pontuação.

Antes disso, o Ibovespa teve uma série de paralisações em 2008, ano da crise do subprime nos Estados Unidos, que disseminou pelo restante do mundo.

Em outubro de 2008, o pregão chegou a ser interrompido por quatro vezes durante meia hora e por uma vez durante uma hora.

As vezes seguintes que o circuit breaker foi acionado ocorreram na década de 1990. Em 14 de janeiro de 1999; na crise da Rússia, em 1998; e 1997, quando as negociações foram interrompidas por mais de duas vezes no ano.

Últimas notícias