ONU: 28 milhões de crianças vivem como refugiadas no mundo

Venezuela é um dos casos importantes de deslocamento, segundo relatório apresentado nesta terça-feira pela Unicef

Rafael Hernandez/picture alliance via Getty ImagesRafael Hernandez/picture alliance via Getty Images

atualizado 12/11/2019 11:48

O relatório sobre os direitos da criança, apresentado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) nesta terça-feira (12/11/2019), mostra que, cada vez mais, as migrações e os conflitos internos de países afetam diretamente crianças e adolescentes.

No mundo, em 2016, 28 milhões de crianças viviam em situação de deslocamento forçado, sendo que 12 milhões eram refugiadas e 16 milhões deslocadas internamente em seus respectivos países.

O documento destaca como preocupante a situação da Venezuela (foto em destaque), que sofre uma das piores crises política, econômica e social da sua história, em meio às disputas entre oposicionistas e o governo do presidente Nicolás Maduro.

De acordo com o estudo, a cada 200 mil venezuelanos que deixam o país latino-americano, 30% são crianças e adolescentes, ou seja, 60 mil.

Segundo o governo brasileiro, mais de 480 mil venezuelanos já foram atendidos pela Operação Acolhida, que auxilia os imigrantes desde a passagem pela fronteira. Brasil, Colômbia, Peru e Chile são os principais destinos dos refugiados.

Desde o início da crise humanitária na Venezuela, em 2014, o Brasil já recebeu mais de 115 mil solicitações refúgio e outros 90 mil pedidos de residência temporária.

Últimas notícias