Delegado que denunciou Salles celebra exoneração: “E eu continuo”

delegado Alexandre Saraiva, que enviou notícia-crime ao STF contra Salles alegando suposto crime de obstrução de investigação ambiental

atualizado 23/06/2021 17:46

Alexandre SaraivaMichel Jesus/Câmara dos Deputados

O delegado Alexandre Saraiva, da Polícia Federal, usou o Twitter, na tarde desta quarta-feira (23/6), para comentar a demissão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que pediu exoneração ao presidente Jair Bolsonaro.

E eu continuo Delegado de Policia Federal”, escreveu, alfinetando a decisão do governo. Saraiva foi quem apresentou notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF) que dá conta de suposta atuação de Salles para obstruir a investigação que resultou na apreensão de madeira ilegal, como parte da Operação Handroanthus . Segundo o requerimento, o então ministro teria praticado três delitos: dificultar a ação fiscalizadora do poder público no meio ambiente; exercer advocacia administrativa; e integrar organização criminosa.

O delegado foi afastado da chefia da Superintendência da PF na Amazônia depois da denúncia. Ele passou quatro anos na chefia da PF no estado.

Exoneração de Salles

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu demissão na tarde desta quarta-feira (23/6) ao presidente Jair Bolsonaro. A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

Em coletiva, Salles confirmou o pedido. “Eu vim anunciar que apresentei ao senhor presidente da República, e ele já aceitou. Foi comunicado o meu pedido de exoneração do cargo de ministro do Estado do Meio Ambiente”, falou.

Alvo de duas investigações no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro estava sob pressão e alegou motivos familiares para deixar o cargo, apesar do respaldo do Palácio do Planalto.

Mais lidas
Últimas notícias