Atos pró-Bolsonaro reúnem manifestantes no Brasil neste domingo

Agora à tarde, apoiadores do presidente estão nas ruas de São Paulo e outras capitais defendendo pautas do governo, como a Nova Previdência

LUCAS ANTÔNIO FRANÇA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOLUCAS ANTÔNIO FRANÇA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 26/05/2019 18:48

Na tarde deste domingo (26/05/2019), as manifestações em defesa do governo Jair Bolsonaro (PSL) seguem pelo Brasil. Ao menos, 156 municípios, 26 estados e o Distrito Federal registraram atos a favor do presidente.

Além de Brasília, Belém, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiânia, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, São Luís, Salvador, Recife, Maceió, Vitória, Fortaleza e Natal são as capitais que registram protestos. Em São Paulo, o movimento de concentração é na Avenida Paulista. A expectativa é que o ato no local concentre o maior número de pessoas de todo o Brasil.

Carla Zambelli/Twitter
Em São Paulo, manifestantes se concentraram na Avenida Paulista

 

Os cidadãos estão nas ruas com faixas de apoio a medidas defendidas pelo governo federal. Trios elétricos tocam músicas da campanha eleitoral de Bolsonaro, além do Hino Nacional. Alguns locais, como o Rio Grande do Sul e o Paraná, têm manifestação marcada para começar anda nesta tarde.

pauta das manifestações é diversa, mas, entre outros pontos, é a favor: da Nova Previdência; manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro; o pacote anticrime, também capitaneado pelo ex-juiz da Lava Jato; a votação nominal da MP nº 870, da reforma administrativa do governo federal; e a operação Lava Toga.

Pela manhã
Em Brasília, manifestantes ocuparam a Esplanada dos Ministérios pela manhã. A Polícia Militar calculou em 20 mil o público presente. Por volta das 13h30, as pessoas começaram a dispersar e a Via S1, que teve o trânsito bloqueado na altura da Catedral, foi liberada.

Confira imagens do protesto em Brasília:

Embora não participe dos atos presencialmente, o presidente da República publicou em seu perfil no Twitter vídeos de manifestações. Um deles mostra apoiadores vestidos de verde e amarelo no metrô de Copacabana, no Rio de Janeiro. Nas imagens, as pessoas dizem, em sintonia: “Nossa bandeira jamais será vermelha”. Em outro vídeo, manifestantes que seguram bandeiras do Brasil se aglomeram em São Luís.

Pela manhã, Bolsonaro discursou durante um culto religioso na Igreja Batista Atitude, no Recreio, zona oeste do Rio de Janeiro. Ele subiu ao palco com a mulher Michelle Bolsonaro, frequentadora do templo evangélico.

O presidente saiu em defesa das manifestações. Segundo ele, “hoje é o dia em que o povo estará nas ruas”, em uma “manifestação espontânea”, como um recado “para aqueles que, com suas velhas práticas, não deixam que o povo se liberte”.

No Twitter, usuários publicam imagens do evento com a #BrasilNasRuas.

No Rio de Janeiro:

No Rio de Janeiro, o público se reuniu na Avenida Atlântica, em Copacabana, entre as ruas Sousa Lima e Constante Ramos. Duas pistas foram interditadas para o trânsito de carros, mas os manifestantes se concentraram apenas na faixa mais perto da praia. A Polícia Militar não divulgou estimativa de público.

Em Campinas (SP):

O ato em Campinas, interior de São Paulo, ocorreu no Largo do Rosário, localizado na região central. A organização estimou 5 mil participantes. A PM, por outro lado, disse que 3 mil estiveram no evento.

Em Belém (PA):

Em Belém, capital do Pará, os apoiadores do governo federal começaram a se reunir por volta das 9h, na Escadinha do Cais do Porto. Segundo o Estadão, no meio da passeata, um grupo de motoqueiros pedia que as pessoas não falassem com a imprensa. Ele justificou que os jornalistas “eram petistas infiltrados que queriam respostas para questionários”.

O ato durou até 12h. A Polícia Militar do Pará informou que a manifestação reuniu cerca de 3 mil pessoas. Por outro lado, os organizadores contabilizaram 50 mil pessoas.

Em Brasília (DF):

Em São Luís (MA):

Em São Luís (MA), o protesto ocorreu na Avenida Litorânea. Os manifestantes estimaram que mais de 1 mil pessoas participaram do ato. A PM, contudo, não divulgou estimativa.

Em Belo Horizonte (MG):

A manifestação em Belo Horizonte (MG) durou aproximadamente três horas, na Praça da Liberdade, região centro-sul da capital. A estimativa de público não foi divulgada até por volta das 14h.

Últimas notícias