Após decisão do STF, PT convoca manifestações em defesa de Lula

Em uma série de publicações no Twitter, o partido disse que "o povo vai tomar nas mãos o rumo deste país"

ERNANI OGATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOERNANI OGATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 08/11/2019 12:39

O Partido dos Trabalhadores (PT), após mudança de entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre prisão de réus após condenação em 2ª instância, convocou manifestações em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pode ser beneficiado pela medida.

Em uma série de publicações no Twitter, o partido disse que “o povo vai tomar nas mãos o rumo deste país”. Na manhã desta sexta-feira (08/11/2019), a defesa do ex-presidente protocolou o pedido de soltura.

“Hoje o povo sai de sua casa com uma estrela no peito e o coração cheio de esperança: decisão do STF desautoriza prisão em 2ª instância, e Lula pode voltar para os braços do povo”, publicou o perfil oficial do partido no Twitter.

Em outra mensagem, o partido comemorou a decisão do STF. “A democracia e a Justiça vencem com o fim da prisão após segunda instância. A lei foi respeitada. Ao lado de Lula, o povo vai tomar nas mãos o rumo deste país”, salientou.

Na primeira entrevista após mudança de entendimento do STF sobre prisão de réus após condenação em 2ª instância, o advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin, afirmou nesta sexta-feira (08/11/2019) que “não há nada que possa impedir a soltura”.

Zanin esteve com o petista nesta manhã, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso desde abril do ano passado e já pediu sua liberdade. “Não há nada que possa impedir ou protelar a decisão que determina a soltura. Qualquer ato dará contornos políticos ainda maiores”, afirmou.

Assim como a defesa, o partido defende a nulidade do processo. “A Lava Jato não só atuou à margem da lei, mas ignorou os códigos morais para prender um homem que dedicou sua vida a mudar o país”, concluiu.

Apesar de o Supremo abrir caminho para a soltura de Lula, o ex-presidente segue inelegível. Isso por que a condenação no caso do triplex do Guarujá (na Justiça Federal de Curitiba, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região e no Superior Tribunal de Justiça) ainda está válida. Ou seja, hoje, Lula não teria condições de ter um eventual registro de candidatura.

O plenário do STF decidiu, nessa quinta-feira (07/11/2019), que será alterada a interpretação atual que permite prisão de réus após condenação em 2ª instância, ainda com recursos cabíveis antes do trânsito em julgado da sentença condenatória.

Veja algumas mensagens do PT: 

Últimas notícias