*
 

A seca está castigando os brasilienses. Na quarta-feira (14/9), os meteorologistas registraram a temperatura mais alta do ano — 34.2ºC — e umidade de 15%. A situação é tão crítica que fez a Defesa Civil decretar estado de alerta. As queimadas se alastram e, para piorar, os reservatórios estão muito abaixo da capacidade. Com isso, moradores de algumas regiões, como Brazlândia, Fercal e Planaltina, já enfrentam falta d’água.

Para se ter ideia da gravidade da situação, nesta quarta, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) suspendeu temporariamente o abastecimento em três cidades: Jardim Botânico, Sobradinho e Brazlândia. Os motivos alegados são o longo período de seca (desde 23 de agosto não cai uma gota de água no DF), os baixos níveis das captações e o aumento do consumo água, em função das altas temperaturas. De acordo com a empresa, a medida é necessária para preservar os reservatórios e evitar falta d’água em maior proporção.

O analista Ruan Carlos Freitas Marques, 31 anos, afirma que sua residência, na Quadra 3 Norte, em Brazlândia, está sem água desde o meio-dia de sábado (10/9). “A gente liga lá (na Caesb) e falam que é racionamento por falta d’água. O problema é que nada foi avisado antes. Não deu nem tempo de nos prepararmos”, conta Marques.

“No começo da semana, falaram que a situação seria normalizada a partir de meia-noite de segunda-feira (12). A água voltou em alguns lugares, mas, na manhã de terça (13), já não tinha de novo. Tem muita gente sem poder cozinhar, tomar banho. Isso prejudicou bastante as atividades diárias”, assegura.

Procurada, a Caesb garante que, por enquanto, não existe racionamento de água. A companhia informa que tem adotado medidas para evitar perdas no sistema, como, por exemplo, a diminuição da pressão nas redes em alguns períodos do dia, e que isso pode ocasionar uma eventual falta d’água temporária em determinadas localidades, como a que está ocorrendo no Jardim Botânico, Brazlândia e Sobradinho.

Os reservatórios do Descoberto e de Santa Maria, que garantem água para 85% da população do DF, estão com 41,69% e 51,11% da capacidade, respectivamente. Uma resolução da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) prevê restrição do uso de água quando o volume útil for igual ou inferior a 20% – ocasião em que seria necessária a adoção do racionamento. A Agência garante que “não há nenhuma medida de racionamento em vigor no DF neste momento”.

Mas a Caesb não descarta a restrição, caso os dois reservatórios continuem baixando. No Distrito Federal, cada habitante consome, em média, 184 litros de água por dia. Em algumas regiões administrativas, como o Plano Piloto, esse número sobe para 390 litros/dia. No Lago Sul e Jardim Botânico, são 384 litros/dia. São Sebastião é a cidade que menos consome, segundo o último levantamento da empresa — 140 litros/dia.

Interrupção de abastecimento

Jardim Botânico – fechamento às 11h30 de quarta e normalização às 10h de quinta (15), nos condomínios Quintas do Sol, Jardins do Lago, Quintas Interlagos, Itaipu, Ouro Vermelho 1 e 2, Quatro Estações, AMOB, Belvedere Green, Verde, Maxximo Garden e Quintas da Colina.

Sobradinho – fechamento às 16h30 de quarta e normalização às 12h de quinta, nos endereços: quadras Central, 6, 8, 12, 13, 15 e 17.

Brazlândia – fechamento às 13h30 de quarta e normalização às 6h de quinta, nos endereços Vila São José (quadras 35 a 38 e 45 a 58); Setor Veredas 1 a 6; Setor de Oficinas; Áreas Especiais 2 a 6 do Setor Norte; Quadra 12 Norte; PM; Cemitério.


Dicas para economizar água

– Verifique a existência de vazamentos de água nos encanamentos de casa. Se verificar vazamentos de água na rede externa (pública), entre em contato com a Caesb pelo telefone 115.

– Ao fechar a torneira, certifique-se de que ela não ficou pingando. Uma torneira apenas gotejando desperdiça 48 litros por dia. Se a água fluir em forma de filete, desperdiça de 180 a 750 litros por dia. Portanto, mantenha a torneira de água sempre bem fechada.

– Diminua o consumo de água utilizando acessórios como aerador, arejadores ou peneirinha e bico da torneira.

– Feche as torneiras durante as atividades rotineiras, como escovar os dentes e fazer a barba. Ao escovar os dentes com a torneira aberta continuamente, você gastará 18 litros de água. Abrindo e fechando a torneira, o gasto cai para 2 litros de água.

 Durante o banho, desligue o chuveiro ao se ensaboar e diminua o tempo embaixo da ducha. Numa chuveirada, gasta-se de 3 a 6 litros de água por minuto. Em um banho de 20 minutos, o gasto é de 120 litros de água. O banho ideal é de 5 minutos, o que equivale a 30 litros de água.

– Lave a louça de maneira consciente. O ideal é limpar bem os restos de comida dos pratos, talheres e panelas a seco (esponja ou papel) e jogar os resíduos no lixo. Uma torneira aberta na cozinha continuamente gasta 240 litros de água. Abrindo e fechando, o gasto é de 70 litros de água.

– Evite lavar o carro em períodos de escassez, mas, se for realmente necessária a limpeza, use um balde com água e panos em vez de uma mangueira.

– Use vassouras e não mangueiras para limpar a calçada e o quintal. Caso haja a necessidade de jogar água, substitua a mangueira por um balde, de preferência, com água reutilizada da máquina de lavar, do tanquinho ou armazenada da chuva etc. Lavar calçada com mangueira gasta 120 litros de água.

– Na época da estiagem, mantenha a piscina vazia. Caso não seja possível, procure tratar a água da piscina com produtos de higienização, em vez de substituí-la.

– A forma mais econômica e racional para molhar as plantas é usar o regador, em vez da mangueira. Para grandes gramados e jardins, opte pelo modelo de “esguicho-revólver”.

– Não deixe transbordar a água da caixa d’água e a mantenha sempre tampada.

 

 

COMENTE

BrazlândiaPlanaltinaCaesbAdasafalta de águafercal
comunicar erro à redação