Segundo brasileiro com coronavírus usou máscara em todo o voo

Caso foi confirmado neste sábado (29/02/2020). Segundo o Ministério da Saúde, ele está em casa, isolado, em contato apenas com a mulher

atualizado 16/03/2020 11:02

O segundo caso de coronavírus no Brasil foi confirmado neste sábado (29/02/2020) pelo Ministério da Saúde. Trata-se de um homem de 32 anos, morador de São Paulo, que esteve em Milão, na Itália.

De acordo com o relato do paciente, ele utilizou máscara durante toda a viagem de retorno ao Brasil.

O homem chegou ao país na quinta-feira (27/02/2020), em voo procedente de Milão, na região da Lombardia – norte da Itália –, quando também os sintomas tiveram início.

Ele foi internado no Hospital Albert Einstein, na capital paulista. No atendimento, foram relatados febre, mialgia (dor muscular) e cefaleia (dor de cabeça). Na sexta-feira (28/02/2020), fez os exames para a doença, e a confirmação saiu neste sábado.

O homem está em casa, isolado, e apresenta boas condições. Ele tem contato apenas com a mulher, que também esteve na Itália com o marido, mas está assintomática.

Apesar da nova confirmação, o Ministério da Saúde informou que “não há mudança da situação nacional, pois não existem evidências de circulação sustentada do vírus em território brasileiro”.

Situação do Brasil
De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, são dois casos confirmados, com local de infecção na Itália, residentes de São Paulo. O mais recente foi comprovado neste sábado. A primeira ocorrência registrada no Brasil e na América Latina foi informada pela pasta na última quarta-feira (26/02/2020). Trata-se de um homem de 61 anos, morador de São Paulo, que também esteve na Itália recentemente.

Segundo as autoridades brasileiras, os episódios não possuem vínculo entre si e foram identificados em unidade de saúde privada.

O Brasil tem 207 casos suspeitos, sendo cinco no Distrito Federal. Outros 79 foram descartados em todo o Brasil.

Compra de insumos hospitalares
Na noite dessa sexta-feira (28/02/2020), o Ministério da Saúde divulgou uma lista de empresas que fornecerão insumos hospitalares, como álcool em gel, óculos de proteção e luvas, para reforçar o combate ao coronavírus.

Conforme o documento, 12 empresas serão contratadas, sem licitação, e dividirão R$ 7.247.400. A dispensa da concorrência, segundo a publicação, se dá com base em lei sancionada no início de fevereiro, que “dispõe sobre medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública” surgida em razão da proliferação do coronavírus.

Além disso, o governo abriu prazo para que empresas interessadas apresentem propostas para fornecer equipamentos hospitalares, como 20 milhões de máscaras cirúrgicas e 12 milhões de aventais hospitalares, 10 monitores multiparamétricos, sete ventiladores pulmonares, dois desfibriladores, entre outros.

Últimas notícias