Quem usa lentes de contato tem mais chances de sofrer infecção ocular

Estudo aponta que risco de ceratite, inflamação na córnea que pode evoluir para cegueira, é três vezes maior para usuários de lentes

scyther5, Istockscyther5, Istock

atualizado 11/03/2019 16:44

Pesquisadores do Moorfields Eye Hospital, na Inglaterra, descobriram que usuários de lente de contato têm três vezes mais chances de contrair ceratite, uma inflamação na córnea que pode ser causada por fungos, bactérias ou pelo parasita Acanthamoeba. A má higiene das lentes é o principal motivo para o desenvolvimento de micro-organismos, conforme aponta o estudo publicado no British Journal of Ophthalmology, no ano passado.

A ceratite por Acanthamoeba causa sintomas como vermelhidão nos olhos, dificuldade de abri-los, sensação de queimação, produção excessiva de lágrimas e hipersensibilidade à luz. Esses sintomas, na maioria das vezes, podem ser facilmente confundidos com outras doenças oculares, como a conjuntivite.

O tratamento, que pode levar algumas semanas, deve ser orientado por um oftalmologista e, normalmente, inclui a aplicação de colírios específicos. Em alguns casos, porém, a doença pode ser bastante grave. Há relatos sobre pacientes que permaneceram em tratamento durante 10 meses e acabaram com menos de 25% da visão ou ficaram cegos. O transplante de córnea é uma opção. Há situações em que se faz necessário retirar o globo ocular e substituí-lo por uma prótese de acrílico ou um olho de vidro.

Além da perda parcial da visão ou cegueira, algumas doenças podem surgir como consequência da cerarite, como glaucoma, catarata, inflamação da esclera e da retina, queda da pálpebra.

“Qualquer um pode ser infectado, mas os usuários de lentes de contato enfrentam maior risco, devido a uma combinação de maior suscetibilidade à infecção, por razões não totalmente estabelecidas”, explica o oftalmologista Eduardo de Lucca, do Instituto de Moléstias Oculares.

Segundo o especialista, as pessoas que usam lentes de contato precisam ser bem orientadas sobre o uso, manuseio e conservação das mesmas. A principal dica é lavar e secar completamente as mãos antes de pegar nas lentes de contato.

Outra recomendação é não se expor à água, seja de chuveiro, mar, banheira, jacuzzi e piscina, usando lentes de contato, em especial as do tipo gelatinosa. “Lentes descartáveis diárias, que eliminam a necessidade de estojos ou soluções de contato podem ser mais seguras”, orienta Eduardo de Lucca.

Últimas notícias