Mulher desenvolve infecção rara por causa de absorvente interno

Bactérias acumuladas no dispositivo de higiene íntima entraram na corrente sanguínea da norte-americana Greta Zarate

Arquivo Pessoal/InstagramArquivo Pessoal/Instagram

atualizado 09/10/2019 13:51

Um absorvente interno quase tirou a vida de Greta Zarate, 32 anos. A norte-americana foi diagnosticada com síndrome do choque tóxico (SCT).

Em janeiro deste ano, no primeiro dia de seu ciclo menstrual, ela sentiu náuseas, diarreia, tonturas e dores musculares. Quatro dias depois, febre muito forte e queda de pressão fizeram com que ela fosse levada às pressas para o Onslow Memorial Hospital, na cidade de Jacksonville, na Carolina do Norte.

Lá, a equipe médica realizou exames de imagem na paciente, mas não conseguiu detectar o que estava acontecendo. A resposta veio após uma conversa com o ginecologista: Greta estava apresentando a SCT. A condição é causada por uma infecção de bactérias Gram-positivas, como a Staphylococcus aureus. As bactérias teriam apodrecido no absorvente interno usado pela mulher e, por conta de cortes microscópicos em sua parede vaginal, entraram em contato com a corrente sanguínea dela.

A presença das bactérias acionou o sistema imunológico de Greta, que acabou entrando em choque séptico – situação em que as funções do corpo ficam desreguladas por causa de uma inflamação grave.

Greta foi medicada com antibióticos, fluidos e morfina. Também precisou de transfusão de sangue para restaurar os glóbulos vermelhos do corpo e impedir a propagação da infecção.

A síndrome do choque tóxico tornou-se conhecida nos anos 1970, com a ocorrência de diversos casos. Em 2012, voltou à tona com o caso da modelo Lauren Wasser, que chegou a perder a perna direita por causa do problema. A moça, então com 24 anos, teve um ataque cardíaco e ficou com os órgãos à beira da falência. O caso dela também foi provocado pelo uso de absorventes internos. (Com informações do Daily Mail)

Últimas notícias