Duas pessoas são diagnosticadas com peste na China

OMS considera a doença reemergente por conta de casos que estão aparecendo em várias partes do planeta

atualizado 13/11/2019 17:23

Unsplash/Divulgação

Autoridades chinesas confirmaram na terça-feira (13/10/2019) que duas pessoas estão recebendo tratamento para peste no país, é a mesma doença que causou a pandemia conhecida como Peste Negra durante a Idade Média. Os pacientes, moradores da Mongólia Interior, região autônoma no norte da China, foram diagnosticados com peste pneumônica por médicos de Pequim.

Após a confirmação, as autoridades da China estudam implementar medidas de controle preventivo. Em maio deste ano, um casal mongol morreu de peste bubônica depois de comer o rim cru de uma marmota, alimento que é tido como uma espécie de remédio popular no país.

Há três formas de desenvolvimento da doença: a peste bubônica, que causa linfonodos inchados; a peste septicêmica, que infecta o sangue; e a peste pneumônica, que atinge os pulmões. Os sintomas da peste bubônica são febre, arrepios, dor de cabeça intensa, cansaço excessivo e ínguas. A peste septicêmica tem os mesmos sintomas da anterior e inclui manchas roxas na pele. Na peste pneumônica, os sinais são dificuldade para respirar, falta de ar, dor no peito e tosse constante.

A peste pneumônica, que acometeu os pacientes chineses, é a mais agressiva das três. Sem tratamento, a doença é fatal, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Embora já existam antibióticos capazes de tratar a maioria das infecções, de 2010 a 2015, foram notificados mais de 3.248 casos de peste em todo o mundo, incluindo 584 mortes, segundo a OMS. Os três países mais endêmicos são a República Democrática do Congo, Madagascar e Peru.

Tendo sido registrados mais de 50 mil casos nos últimos 20 anos, a peste agora é classificada pela OMS como uma doença reemergente. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano, a doença é transmitida pela picada de pulgas que vivem em roedores e que carregam a bactéria Yersinia pestis. Animais infectados, como cães e gatos, também podem transmitir a peste.

Atualmente, o tratamento é feito com antibióticos que previnem complicações, mas eles precisam ser administrados logo no início da doença.

Quando não tratada, a peste bubônica pode evoluir para a peste pneumônica. A doença causa pneumonia em rápido desenvolvimento depois que as bactérias se espalham para os pulmões. (Com informações da CNN)

Últimas notícias