Dois beijinhos? Veja hábitos a se evitar em tempo de coronavírus

Ministério da Saúde recomenda que algumas ações normais do cotidiano do brasileiro sejam revistas para prevenir a doença

Anastasia Sklyar/Unsplash

atualizado 28/02/2020 10:32

O brasileiro é um povo que não tem medo de contato físico e é conhecido pelos abraços calorosos e os beijos no rosto. No entanto, em tempos de coronavírus, infecção que se propaga pelas gotículas de saliva e outras secreções, o Ministério da Saúde recomenda algumas mudanças em ações comuns do cotidiano.

Além de evitar compartilhar talheres, copos, toalhas e travesseiros, o secretário executivo do órgão, João Gabbardo, recomenda que se evite cumprimentar pessoas com dois ou três beijinhos para diminuir a chance de contágio. “A população que toma chimarrão e tererê deve usar a própria bomba e cuia, não dividindo com outras pessoas”, diz. Lavar as mãos com frequência e evitar encostá-las na boca, olhos ou nariz é outra medida de prevenção importante.

Gabbardo diz ainda que é preciso prestar atenção em locais públicos, como banheiros de aeroportos.

“Devemos todos ser fiscais do que está errado. Estive no aeroporto do Galeão no final de semana e, ao lavar as mãos, percebi que é preciso encostar no dispositivo para retirar o papel para secar as mãos. Todo mundo encosta ali, é o local mais contaminado e acaba sujando as mãos de novo. Na hora de sair, a pessoa encosta ainda na maçaneta, o ideal seria que a porta pudesse ser aberta com um empurrão dos ombros. São coisas que percebi e passarei para a vigilância sanitária“, enumera.

Últimas notícias