*
 

Em apenas uma semana, a Agência de Fiscalização do DF (Agefis) lacrou quatro prédios em construção na região de Vicente Pires. Nesta sexta-feira (10/11), um edifício de sete andares na Rua 4, Chácara 286, que já estava embargado, foi cercado por uma barreira de contenção para que ninguém possa acessá-lo.

Segundo o órgão, a construção já havia sido interditada. Os responsáveis foram intimados a depor e multados três vezes, mas mesmo assim continuaram a obra. As infrações somam R$ 10,5 mil. Hoje, mais uma multa foi aplicada, no valor de R$ 14 mil.

No local, existem salas comerciais e apartamentos residenciais — todos ainda vazios, uma vez que a obra não está concluída. A Defesa Civil foi acionada para fazer uma vistoria no edifício e verificar se há risco de desabamento. Nenhum responsável pelo projeto foi encontrado.

Desabamento
Desde que o prédio desabou na cidade, no último dia 20, e matou o técnico em edificações Agmar Silva, 55 anos, sete edifícios já foram lacrados pela Agefis. O corpo de Agmar foi encontrado três dias depois do acidente.

Ele fazia uma visita técnica quando foi atingido pelo desabamento. O prédio fica na Avenida da Misericórdia, na Colônia Agrícola Samambaia, Chácara 149, Lote 2, atrás do Taguaparque. Era composto por dois segmentos geminados de seis andares cada. A parte traseira da obra ruiu e deixou escombros somente dentro do terreno da construção, não atingindo de forma direta as casas vizinhas.

Uma semana depois, moradores de um prédio interditado pela Defesa Civil na Rua 8, Chácara 210, tiveram de deixar o local. A construção corre o risco de desabar e pode ser demolida. Foram detectados problemas graves, como fissuras em vigas e lajes.

Entre 2016 e este ano, cerca de 1.200 obras foram autuadas pela Agefis na região e 150 foram multadas por irregularidades.

 

 

COMENTE

AgefisVicente Piresdesabamentoobra irregular
comunicar erro à redação