*
 

Mais de 20 mil pessoas foram evacuadas nesta quarta-feira  (13/9) de vários centros comerciais, shoppings, estações ferroviárias e universidades em Moscou, após a polícia receber denúncias simultâneas de ameças de bomba, informou o canal de televisão Russia Today. “Parece um caso de terrorismo telefônico, mas precisamos verificar a veracidade destas mensagens”, informou uma fonte dos serviços de emergência à agência de notícias Tass.

As chamadas foram recebidas ao mesmo tempo, o que colocou a polícia em alerta. Ao todo, 30 lugares foram evacuados, incluindo duas universidades, a Sechenov Medical University e a MGIMO International Relations University, além das estações de Leningradsky, Kazansky e Kievsky.

“Cada chamada está sendo verificada. Cachorros farejadores estão auxiliando em detectar possíveis bombas”, disse um agente da polícia.

Mais cedo, o porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, negou-se a comentar sobre o aumento dos incidentes com bombas e episódios de violência em várias regiões da Rússia.
O país recebeu nesta semana uma série de alarmes falsos de bomba, realizados através de chamadas telefônicas anônimas. Diversos edifícios e estabelecimentos por todo o país precisaram ser evacuados.

O presidente Vladimir Putin alerta, desde o início na guerra da Síria, sobre a possibilidade de terroristas russos na linha de frente de organizações islâmicas voltarem ao país para atentados. Além disso, a Rússia é alvo de ataques de movimentos ucranianos e chechenos.

Segundo a agência de notícias Bloomberg, várias outras cidades receberam ligações anônimas com ameaças de bomba como Petropavlovsk-Kamchatsky e Tomsk. Até o momento não foram encontradas bombas. O Vice-Chefe do Comitê de Defesa russo afirmou que este pode ser um trabalho preparatório para um real ataque terrorista.

 

 

 

COMENTE

rússiaataque terroristamoscou
comunicar erro à redação

Leia mais: Mundo