20 de janeiro de 1567: Estácio de Sá expulsa definitivamente os franceses

Foram três anos de uma missão clara: recuperar a região da Guanabara, desalojar os franceses e seus aliados e fundar uma cidade.

atualizado 20/01/2021 6:08

Mapa Guanabara 1555Reprodução internet

Não sobra muito da tentativa dos franceses de implantar-se no Brasil. Pelo menos na baia da Guanabara. Uma ilha ainda leva o nome de Villegagnon, um protestante que tinha ambições muito além de simples conquista territorial: fundar um povo vivendo em maior harmonia com seus entendimentos dos mandamentos de Deus.

Foram poucos anos, mas após a destruição da pequena colônia, os franceses ainda ficaram na região. É que tinham se aliado a duas tribos locais, os tamoios e sobretudo os tupinambas, que os portugueses temiam bastante. Não era para menos, esses tinham costume de festejar suas vitórias com ritos de canibalismo.

A retomada do controle da região foi entregue a um jovem militar de 34 anos: Estácio de Sá. Na então capital da colônia, Salvador, ele recebe a missão de botar para fora os remanescentes da Franca Antártica, e ao mesmo tempo de fundar uma cidade naquelas bandas.

Acostando perto numa ilha que os franceses chamavam “pote de manteiga” (o atual de Pão de Açúcar, que seria aterrado e ligado ao resto da baia depois), foi fundada em 1° março de 1565 a tal cidade, levando o nome do jovem rei de Portugal, Sebastião, e de seu patrono, São Sebastião, um mártir da igreja católica que foi morto a flechadas.

Mas os homens do idioma do biquinho ainda estavam zanzando por aí, foram necessários quase dois anos para a Batalha do Rio de Janeiro, em 20 de janeiro de 1567. Que terminou tragicamente para seu heroi. Nesta quarta-feira (20/01), os Cabeças da Notícia da Radio Metrópoles te contam o adeus dos franceses e de Estácio de Sá ao Rio de Janeiro, entre 07H00 e 09H00 no 104.1 FM em Brasília e região, e no resto mundo (em particular na Ville Merveilleuse) pelo aplicativo.

 

Últimas notícias