Djokovic assume erro ao dar entrevista com Covid: “Fui egoísta”

Tenista já sabia do resultado positivo quando se encontrou com o jornal francês L'Équipe para entrevista e sessão de fotos

atualizado 18/02/2022 13:44

Na imagem colorida, um homem está posicionado no centro. Ele tem cabelos curtos e pretos, e usa camiseta nas cor azul Matthew Stockman/Getty Images

O tenista Novak Djokovic adimitiu que errou ao decidir participar de uma entrevista e sessão de fotos com o jornal francês L’Équipe sabendo que estava com Covid-19.

O acontecimento foi alvo de polêmicas em janeiro deste ano, quando o atleta apresentou um teste RT-PCR positivo realizado no dia 16 de dezembro como argumento à Justiça autraliana de que não poderia receber a vacina contra o novo coronavírus e, com isso, conseguir autorização para participar do Australian Open.

Entretanto, o tenista participou de um evento com crianças um dia depois de ter realizado o teste e já tinha conhecimento do resultado do exame ao se encontrar com o jornalista Frank Ramella no dia 18, em Belgrado, capital da Sérvia.

“Foi um erro. Respeito o jornalista Franck. Ele está no tênis há mais tempo do que eu. Adiamos essa entrevista por algum tempo e descobri que estava positivo depois que ele já havia desembarcado em Belgrado. Eu usei minha máscara durante toda a entrevista e mantive a distância física. Eu tirei minha máscara para a sessão de fotos, mas tanto Franck quanto o fotógrafo estavam a poucos metros de mim. Admito que foi egoísta o que fiz, foi um erro. Eu entendo que nem todas as pessoas vão me perdoar e eu entendo os críticos”, disse ele em entrevista à emissora pública da Sérvia, exibida na quinta-feira (17/2).

Djokovic ainda relatou que pretende retornar ao torneio da Austrália no futuro: “Sempre me lembrarei de todas as coisas boas que aconteceram para mim em Melbourne. Eu tive muitos momentos lindos profissionais e pessoais lá. Apesar de tudo, tenho uma grande conexão com a Austrália. Os resultados que tive em Melbourne mostram como me sinto quando vou lá. Tudo o que aconteceu este ano foi totalmente inesperado. Será difícil esquecer, mas quero voltar para a Austrália no futuro e jogar na Rod Laver Arena novamente”.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

O tenista também comentou sobre a relação com os colegas do esporte que o criticaram pela decisão de não se vacinar, afirmando que entende “que alguns deles não quiseram se manifestar” e outros “criticaram ou não gostaram” da maneira como ele entrou no país, já que, segundo ele, a posição dos atletas “não era fácil e havia muita ênfase sobre essa saga”.

Mesmo assim, Djokovic disse que queria que os colegas ouvissem o seu lado da história. “Recebi muitas mensagens em particular de alguns jogadores, mas eles não quiseram falar publicamente. Eu entendo, a situação era complicada”, contou.

Sobre o fato de ainda não ter se imunizado contra o vírus, o tenista contou que é “apenas cauteloso” ao decidir o que entra ou não em seu corpo. “Como atleta de elite, quero checar três vezes tudo o que entra no meu corpo. Se algo muda 0,5% no meu corpo, eu sinto. Sou apenas cauteloso antes de tomar qualquer decisão, estou tomando meu tempo e mantendo minha mente aberta. Vou viver com as consequências”, afirmou.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesesportes

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias