Maradona caiu e bateu a cabeça dias antes da morte, diz advogado

De acordo com representante de uma enfermeira, o ex-jogador também se recusava a receber profissionais da saúde

atualizado 30/11/2020 12:30

Maradona e médico Leopoldo LuqueReprodução/Instagram

Os depoimentos de enfermeiras e de pessoas que estavam próximas a Diego Armando Maradona dias antes da morte do ídolo argentino têm revelado situações anormais durante o tratamento. Rodolfo Baqué, advogado da enfermeira Dahiana Madrid, afirmou que o ex-jogador caiu e bateu a cabeça uma semana antes de morrer.

“Poucos dias antes de morrer, Maradona caiu e bateu com a cabeça. O golpe não foi maior, mas acertou do lado direito, o oposto da operação. Foi imediatamente atendido. Ninguém chamou a clínica, talvez por decisão de Maradona”, disse Baqué, em seu depoimento, publicado pelo jornal As.

O advogado também relatou que Maradona se recusava a receber a enfermeira e questionou se ele tinha condições psicológicas de tomar decisões sobre o tratamento.

0

“Ele não estava em condições de decidir. Passava três dias trancado no quarto, sem nem assistir televisão. Tinha 109 batimentos por minuto, quando todos sabemos que um paciente coronariano não pode ultrapassar 80 em freqüência cardíaca … Maradona poderia ter ficado na clínica mais luxuosa do mundo e estava em um lugar inválido. Se ele não estivesse lá, ele provavelmente não estaria morto hoje”, acredita Baqué.

A investigação sobre a morte de Maradona, na última quarta-feira, está em curso. O médico pessoal do ex-jogador, Leopoldo Luque, foi acusado formalmente por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Internação e cirurgia

Maradona viveu seus últimos dias em procedimento de recuperação após passar por uma cirurgia no cérebro. Ele retirou hematomas na região e iniciou tratamento de reabilitação em sua casa, perto da residência de uma de suas filhas, para combater a dependência do álcool.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias