Crítica: Wesley Safadão não cabe mais no rótulo de cantor de forró

Em DVD gravado no Garota VIP do Rio de Janeiro, artista explorou ritmos diversos ao lado de nomes como Simone & Simaria e Dilsinho

Cadu Fernandes/DivulgaçãoCadu Fernandes/Divulgação

atualizado 02/09/2019 19:16

Rio de Janeiro (RJ)* — Os fãs de Wesley Safadão presenciaram um dos momentos mais importantes da carreira do ídolo no último 24 de agosto, durante a gravação do seu novo DVD, no festival Garota VIP, no Rio de Janeiro. Para uma plateia de 70 mil pessoas, o artista mostrou, em uma maratona de quase cinco horas, que o rótulo de forrozeiro não lhe cabe mais. O cantor é um showman, capaz de dar voz a uma sonoridade diversificada.

Não que Wesley Safadão rejeite suas raízes. Pelo contrário, em diversas ocasiões, o cearense declarou seu amor e orgulho pelo estilo que o elevou ao patamar atual. Mas são notórias as suas investidas em gêneros como o sertanejo, o funk e, agora, o pagode. Independentemente do segmento, surpreende o talento dele para escolher um repertório certeiro, que atinge em cheio o gosto popular.

 

Trajetória Revisitada

Se em 2015 Wesley exaltava em Aquele 1% (parceria com Marcos & Belutti) o jeitinho “safado que elas gostam”, na novíssima Dois Lados, o cantor é “quem bebe, sofre, chora e liga”, no melhor estilo modão de sofrência. Umas das composições inéditas do álbum, a música ganhou status de hit depois de o refrão chiclete ser entoado em coro pelo público do Garota VIP RJ. Maria Santinha, Saudade Teimosa e Mal de Ex são outras canções que os fãs já tinham na ponta da língua.

As composições com sotaque sertanejo continuaram nos versos de A Maior Volta por Cima, que contou com a participação das coleguinhas Simone & Simaria, e Na Cama Que Eu Paguei, com Zé Neto & Cristiano. Com o pagodeiro Dilsinho, o romantismo ficou por conta de Aprende a Terminar. A presença de Dennis DJ e do funkeiro Kevin o Chris na faixa Sempre Assim deixou claro que nem só de arrastar chifre no asfalto se faz o festival do Safadão.

Ainda é impossível elencar, com certeza, quantas e quais canções permanecerão no produto final que será apresentado ao público em outubro. Mas, no Rio de Janeiro, a plateia cantou e dançou enquanto o cearense revisitava sucessos como Ar Condicionado No 15, Camarote, Romance com Safadeza, além das mais recentes Só Pra Castigar, Igual Ela Só Uma, entre outras.

Cadu Fernandes/Divulgação
Palco do Garota VIP RJ foi um espetáculo visual à parte
À flor da pele

O cantor estava à flor da pele durante toda a gravação. Seja na entrada, com o bordão Vai Safadão sendo gritado em uníssono por milhares de pessoas 0 que não arredaram o pé do evento mesmo quando a chuva castigou –, ou no encerramento, quando Wesley Safadão levou os filhos ao palco e decretou: “Só os fortes entendem o Garota Vip”. Agora, é preciso que as imagens registradas consigam transparecer a sintonia e a troca intensa entre o ídolo e seus fãs.

A grandiosidade do palco montado para o Garota VIP RJ produziu um espetáculo visual à parte. Foram quase 80 metros de frente, 40 metros de altura e mais de 1,4 mil metros de LED e mil aparelhos moving lights espalhados pela estrutura do evento. A equipe para dar conta disso tudo tinha 380 integrantes. Além disso, um belo show de fogos de artifício disparados em momentos diversos do show deixou todos boquiabertos. Na direção da megaestrutura esteve Catatau, um dos principais nomes do mercado fonográfico brasileiro. Já o badalado coreógrafo Tiago Montalti coordenou o corpo de balé.

Até o lançamento do álbum, o músico se concentrará na nova turnê internacional, que acontecerá entre 27 e 29 de setembro em Miami, Newark e Boston, nos Estados Unidos. Depois, em novembro, o artista irá zarpar do Porto de Santos, em São Paulo, com a segunda edição do WS On Board, com 72 horas de festa em alto-mar.

* A repórter viajou a convite da Luan Promoções e Eventos

Últimas notícias