Soldado gay xingado em áudio é ouvido pela PMDF na condição de vítima

Corporação instaurou Procedimento Investigativo Preliminar (PIP), que apura a possibilidade de continuar a sindicância

atualizado 01/11/2021 19:18

PM Henrique HarrisonReprodução/Instagram

O soldado Henrique Harrison, punido dentro da Polícia Militar do DF (PMDF) após publicar um vídeo no canal dele no YouTube comentando questões sobre “como a homossexualidade é tratada em ambientes militares”, foi ouvido pela primeira vez em um procedimento de investigação dentro da corporação na condição de vítima. A oitiva ocorreu na última semana.

O processo instaurado é um Procedimento Investigativo Preliminar, conhecido como PIP. É uma espécie de pré-sindicância, que busca saber se há elementos suficientes para seguir em frente com a apuração. “Eu fico feliz de ver algum tipo de andamento, mas depois de ser punido numa celeridade tão efetiva, e o inverso acontecer contra meus superiores, já demonstra uma posição dos que me julgam”, reclama.

Segundo ele, o andamento só ocorreu por causa de pressão do deputado distrital Fábio Félix (Psol). “Hoje tenho forças, não descarto a possibilidade de ir atrás e de provar os abusos de autoridade, omissão do Estado, buscar o MP e manter o deputado a par de tudo, já que ele tem sido um dos meus maiores aliados”.

Harrison segue afastado do trabalho, mas diz que tem muita vontade de voltar ao trabalho, embora continue com medo por conta de tudo que tem passado.

O que diz a PMDF

Procurada, a PMDF informou que “aguarda a conclusão do procedimento preliminar”. A corporação, no entanto, disse que “não compactua com quaisquer desvios de condutas”.

 

Mais lidas
Últimas notícias