DF: após oito mortes, Exército entra em campo para combater a dengue

O trabalho de 100 militares começa pelo Itapoã, Planaltina e Paranoá, áreas consideradas críticas pela Secretaria de Saúde

Material cedido ao MetrópolesMaterial cedido ao Metrópoles

atualizado 09/04/2019 12:27

O  Exército começa a reforçar o trabalho de combate à dengue no Distrito Federal. Os números são preocupantes. De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, oito pessoas já morreram por causa da doença. Até o início da semana passada, eram sete óbitos.

O número de casos prováveis passou de 4.971 para 6.650. Foram 7.575 notificações e, dessas,  7.304 (96,4%) de pessoas residentes no Distrito Federal.  As estatísticas se referem ao período de 24 a 30 de março deste ano.

O Exército vai atuar em apoio aos agentes de saúde e ao Corpo de Bombeiros. Inicialmente, serão 100 militares, que vão começar os trabalhos pelo Itapoã, São Sebastião e Planaltina. Segundo a Secretaria de Saúde, as ações vão até o dia 28 de abril, uma vez que o período chuvoso se estendeu neste ano.

De acordo com o boletim divulgado nessa segunda (8), as regiões de Itapoã, Paranoá, Núcleo Bandeirante e Varjão do Torto estão com coeficientes de incidência “muito preocupantes”. Em pelo menos três cidades, ficaram acima de 300 casos por 100 mil habitantes em um mês.

Reprodução/Boletim da SES

Além dos oito óbitos, a Secretaria de Saúde registrou nove situações graves de pessoas que sobreviveram e 119 com sinais de alarme. No mesmo período de 2018, foram confirmados dois casos graves e um óbito por dengue no DF.

O ingresso do Exército no combate à dengue é resultado de um pedido do governador Ibaneis Rocha (MDB) ao Comando Militar do Planalto na última semana.  “Estamos com uma grave crise de dengue”, admitiu o emedebista, na terça (2). Contudo, o chefe do Executivo jogou a responsabilidade da situação em falhas de projeto e no orçamento da gestão anterior.

“O orçamento é de R$ 8 bilhões. Mas já está todo esquadrinhado. Eu estou tendo que reformular tudo para poder dar atendimento às pessoas”, afirmou. Ibaneis reforçou a necessidade de que Goiás também intensifique o combate à dengue. “Então o governador [Ronaldo Caiado] tem que tomar as atitudes e lembrar que o estado de Goiás está aqui”, cobrou na ocasião.

O governo quer que mil militares engrossem o batalhão de combate à doença.

Últimas notícias