Rumo aos 60, Brasília recebe 2020 com música, esperança e fogos

Esplanada dos Ministérios e Prainha registraram o maior público. Festa avançou pela madrugada

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 01/01/2020 13:03

Os brasilienses aproveitaram a trégua da chuva para celebrar a chegada de 2020, na madrugada desta quarta-feira (01/01/2020), em eventos ao ar livre e gratuitos, como na Esplanada dos Ministérios e na Prainha. Os shows da virada também marcaram a contagem regressiva para o aniversário de 60 anos da capital federal.

Na Esplanada, embalado pelo som do sertanejo Luan Santana e de outros artistas, o público acompanhou a queima de 10 toneladas de fogos, que começou à meia-noite e durou cerca de 10 minutos. O público estimado pelos organizadores foi de 20 mil pessoas.

Na Prainha, o destaque ficou para a agenda idealizada em parceria com a Federação de Ubanda e Candomblé de Brasília e Entorno (FUCB), promovendo a inclusão e rompendo com diversos preconceitos contra as religiões afro. O ápice da festa na Praça dos Orixás foi a apresentação do sambista Dudu Nobre, que recebeu cachê de R$ 145 mil.

Quem foi ao local também curtiu a queima de fogos. O público estimado pelos organizadores foi de 15 mil pessoas ao longo da programação.

Até o fechamento desta reportagem, a Secretaria de Segurança Pública do DF não havia divulgado o público dos dois eventos nem o balanço das ocorrências policiais.

Vejas fotos do Ano-Novo na Esplanada e na Prainha:

 

Luan Santana, que recebeu cachê de R$ 510 mil pelo show, elogiou a capital do país: “Brasília faz tanto parte da minha história que a vontade era de cantar as músicas do repertório inteiro”.

O sertanejo comentou em entrevista ao Metrópoles a revelação de que o filho da cantora Marília Mendonça foi concebido logo após um show dele. “Conversei com ela e é verdade. Ela me disse que foi um show romântico”, brincou.

O cantor também falou sobre os próximos projetos, como o lançamento de um hit para o Carnaval com parcerias de Leo Santana e Olodum. “Será uma nova versão de ‘Sofrendo feito um louco’ e promete”, contou.

Brasília 60 anos

O governador em exercício, Paco Britto (Avante), destacou os eventos programados para o Réveillon brasiliense: “É uma pequena amostra do que a Secretaria de Cultura junto ao governador Ibaneis vão fazer para os 60 anos de Brasília. A vibração e a esperança que retornou à capital com a geração de emprego e crescimento da economia está aqui representada”.

Paco Britto afirmou que as imagens da Praça do Orixás serão revitalizadas com recursos de emenda parlamentar. De acordo com o GDF, cerca de R$ 3 milhões foram aplicados, mas o balanço final será feito após as festividades. “Não é gasto, é investimento. Muito se move na economia quando fazemos um evento nessa magnitude. Precisamos entrar com o pé direito nos 60 anos de Brasília”, disse o secretário de Cultura, Bartolomeu Rodrigues.