*
 

Defendendo um pretenso “modelo diferente do atualmente praticado na política”, o pré-candidato ao Palácio do Buriti Alexandre Guerra (Novo) participou, na noite dessa segunda-feira (9/7), do primeiro debate com pré-candidatos ao GDF do Metrópoles. Em seu discurso, o empresário do setor de fast-food garantiu que não fará “acordos com a Câmara Legislativa para governar o Distrito Federal”.

Em seu momento de maior tensão, diante da plateia de cerca de 500 pessoas, o pré-candidato foi questionado sobre como lidaria com o Legislativo local. Ao responder o jornalista André Noblat a respeito das negociações de apoio dos deputados distritais, o empresário falou que fará uma pergunta aos parlamentares: “Quem vai ganhar, políticos ou população?”

Guerra também voltou sua artilharia contra outros concorrentes, especialmente Izalci Lucas (PSDB). Ele atacou a postura do tucano na aprovação da Lei do Fundo Partidário, que destina cerca de R$ 3 bilhões para partidos e suas campanhas. O deputado federal, mais tarde, em outra pergunta, negou ter votado a favor do projeto.

Em relação ao assunto transporte público, o pré-candidato apontou as parcerias público-privadas como uma alternativa ao atual modelo. Sobre a segurança, Guerra questionou a quantidade de policiais em áreas burocráticas e defendeu uma reorganização da corporação. O empresário sugeriu, também, o aumento do policiamento ostensivo nas Regiões Administrativas.

Ao final do evento, Alexandre Guerra reafirmou a importância dos debates, uma vez que o Partido Novo ainda sofre com o desconhecimento da população. “Representamos a renovação, como dissemos. Passamos a mensagem, que é o grande desafio da nossa campanha”, concluiu.