Distrital publica imagem de Hitler com Jean Wyllys e revolta LGBTs

Deputada Júlia Lucy disse ter achado a montagem "interessante". Para ela, a gravura "não tem nada de homofóbica"

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 02/04/2019 9:41

Ao atacar o “socialismo” em suas redes sociais, a deputada distrital Júlia Lucy (Novo) polemizou na segunda-feira (1º/4). A parlamentar compartilhou imagem na qual Adolf Hitler, ex-ditador nazista,  aparece ao lado do ex-deputado federal Jean Wyllys (PSol) com o arco-íris – símbolo da luta LGBT – ao fundo.

Na montagem, aparece a seguinte mensagem: “1º de Abril: dia do socialismo que deu certo”. Além de Hitler e Wyllys, estão na peça os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (ambos do PT), o sociólogo e filósofo Karl Marx, os chefes de Estado da Venezuela, Nicolás Maduro; da Coreia do Norte, Kim Jong-un; e o ex-presidente de Cuba Fidel Castro.

Veja:

Reprodução

A imagem com o print da tela dos stories de Júlia – como são conhecidas as postagens no Instagram que só ficam disponíveis por 24 horas – viralizou. Representantes da comunidade gay repudiaram o ato em comentários nas redes sociais. O caso também repercutiu na Câmara Legislativa.

“Lamentável que uma parlamentar difunda esse tipo de imagem. É muito triste que a bandeira LGBT e o Jean Wyllys estejam vinculados a Hitler, que matou tantos gays. É triste uma pessoa nova, inteligente, fazer esse tipo de brincadeira de mau gosto. Vou me ater a repudiar, pois esse tipo de atitude quebra muitas pontes”, criticou o deputado Fábio Felix (PSol), primeiro distrital assumidamente homossexual da Câmara Legislativa.

Apesar de ter ofendido a colegas e internautas, Júlia Lucy negou o viés homofóbico da imagem e destacou que o arco-íris não é de propriedade do movimento LGBT.

“A imagem não tem nada de homofóbica e há várias pessoas que consideram Hitler socialista. Tudo depende do ponto de vista. Achei a imagem interessante, engraçada e o arco-íris não é exclusivo dos movimentos LGBTs. Não dá para pensar que tudo é um recado para alguém. Não acho que foi ofensivo. Todos sabem que sou defensora da liberdade. Eu me posiciono e acho que o socialismo foi um modelo fracassado. Não podemos ficar no mimimi, precisamos estar abertos a novas coisas e ideias”, justificou Lucy ao Metrópoles.

Protestos
Nas redes sociais, os protestos foram muitos. Em um deles, um internauta diz: “Poderia ser um simples meme, mas foi postado por uma deputada distrital”.

Em outro, um usuário questiona o processo seletivo do Novo. “Vai ver não perguntaram sobre: história do país; importância de lutas pelos direitos LGBTs; diferença entre FHC, Hitler e Coreia do Norte. Só isso justifica tamanha campanha de desinformação por uma parlamentar do ‘Novo’”.

Ainda nas redes sociais, outra pessoa dispara: “Essa postagem da deputada Júlia Lucy é de uma desonestidade intelectual que assombra. Desrespeitosa com a pauta LGBT+ que assombra, além de reproduzir senso comum carregado de erro conceitual. Lastimável”, assinala.

Últimas notícias