“Pega ladrão, pega ladrão”, gritou lojista de shopping assaltado em Águas Claras

Uma das balas atingiu, de raspão, o ombro de Matheus Almeida Silveira, 31 anos. Ele precisou ser socorrido , mas não corre risco de morte

atualizado 28/10/2020 16:31

Agentes da PCDF em shopping do DFJacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

O assalto a uma joalheria e os disparos que ocorreram dentro do shopping DF Plaza, em Águas Claras, no início da tarde desta quarta-feira (28/10), deixou lojistas e clientes em pânico. Um casal, ainda não identificado, anunciou o roubo em uma joalheira, mas não contou com a reação de uma funcionária, que deixou a loja correndo e gritando: “Pega ladrão, pega ladrão”.

Assustados, os assaltantes deixaram o local correndo, mas um deles atirou contra um segurança desarmado. Uma das balas atingiu, de raspão, o ombro de Matheus Almeida Silveira, 31 anos. Ele recebeu atendimento emergencial no local, foi transferido para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas não corre risco de morte.

Uma lojista que trabalha próximo à joalheria contou ao Metrópoles que levou um susto. “Eu estava fazendo um atendimento normal, esse casal passou na porta e, aí, falei: “Boa tarde”, e eles já entraram na loja. Cinco minutos depois, começaram a gritar “pega ladrão, pega ladrão”. Foi quando ele saiu correndo, com a mão debaixo da blusa, como se estivesse com a arma ali, e a mulher atrás dele. Achei, primeiro, que essa moça era quem estava gritando, mas era a companheira dele”, relatou.

0

Outra vendedora do shopping comentou que o suspeito chegou a fazer outro disparo, do lado de fora do shopping. “O rapaz que estava andando, no horário de almoço, tomou um tiro no ombro, porque o bandido saiu atirando, inclusive lá fora”, resumiu.

Nas redes sociais, a médica Carolina Medaglia, presente no momento do crime, narrou o momento de terror. “Foi o pior susto da minha vida. Por poucos milímetros, esses tiros poderiam ter chegado em mim, nos meus filhos”, contou.

“Eu estava no DF Plaza, agora, na hora do almoço, com meus dois meninos, e começou um tiroteio lá dentro. Foi a pior experiência que já passei em toda minha vida. A gente estava na livraria escolhendo os apontadores, quando passou alguém gritando ‘pega ladrão’. Na sequência, eu vi um rapaz passando e comecei a escutar os tiros. Saí correndo com os meus dois filhos”, revelou.

Veja o depoimento:

Segundo o delegado André Leite, da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), as informações preliminares da polícia são de que um casal tentou roubar uma joalheria, no primeiro piso do shopping, mas a funcionária que estava no local reagiu e saiu correndo da loja, após o anúncio do assalto.

De acordo com o delegado, os suspeitos não chegaram a levar nada do estabelecimento. “Eles chegaram como clientes e anunciaram o assalto. A vendedora, então, teve uma primeira reação e empurrou o homem, que estava com a arma. Nisso, ela saiu correndo e gritando”, contou.

Quando a funcionária da loja fugiu, o homem, armado, correu atrás. “Aí, o segurança foi intervir e ele [suspeito] deu três disparos em direção ao segurança. Um deles atingiu a vítima”, narrou Leite.

“Trabalhamos com a suspeita, inclusive, de que seja o mesmo casal que cometeu um assalto a uma outra joalheria no dia 21, no Liberty Mall“, afirmou.

Por meio de nota, o shopping DF Plaza se pronunciou. Apesar do susto, o estabelecimento disse a rotina do comércio continua normalmente. “A vítima, que teve leve escoriação, foi prontamente atendida pelos brigadistas do shopping, encaminhada ao Hospital Regional de Taguatinga e passa bem. A Administração do DF Plaza Shopping informa que as polícias Militar e Civil estão apurando todos os detalhes do incidente. A direção do centro de compras informa também que está colaborando nas investigações”, destaca a nota.

Últimas notícias