Mulher encontrada morta sem pele do rosto pode ter sido alvo de animais

Peritos criminais ouvidos pelo Metrópoles acreditam que aves de rapinas ou outros animais teriam comido tecidos do crânio de Rúbia

atualizado 20/08/2020 20:19

Rúbia - mulher encontrada morta no DFReprodução

A mulher encontrada morta sem a pele do rosto e o couro cabeludo na terça-feira (18/8) pode sido alvo de aves de rapina ou outros animais quando o cadáver – encontrado no Parque Leão, no Recanto das Emas – já estava em decomposição. Ela foi identificada como Rúbia Alves Ferreira, 35 anos. Peritos criminais ouvidos pelo Metrópoles apontaram que tecidos, olhos e outras “partes moles” da cabeça podem ter sido devorados pelos animais, por isso os ossos do crânio teriam ficado expostos.

No entanto, os laudos produzidos pelos institutos Médico Legal  (IML) e de Criminalística (IC) ainda estão sendo produzidos. Apenas após a perícia a causa da morte e o esclarecimento sobre o descompasso no estado de decomposição do corpo poderão ser esclarecidos.

Em relação à investigação, há informações de que a mulher seria usuária de drogas e teria o costume de comprar entorpecentes tanto no DF quanto em Luziânia (GO). Investigadores da 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas), apuram o caso. Policiais estão ouvindo familiares e pessoas próximas à vítima para tentar identificar possíveis autores.

Quando o cadáver foi localizado, apesar de as outras partes ainda apresentarem rigidez e tecidos, o crânio estava completamente sem pele ou traços de sangue. O local onde o corpo foi localizado passou por perícia dos  institutos de identificação.

Segundo o delegado-chefe da 27ª, Pablo Aguiar, os investigadores agora aguardam os resultados da perícia para elucidar a causa da morte.

“Ela veio de Luziânia e estava ali no Recanto das Emas. Localizamos uma pessoa que a conhecia. Agora, precisamos esperar o resultado da perícia para ver se foi morte violenta e saber qual instrumento foi utilizado”, informou.

0

Últimas notícias