Moradores de prédio que caiu no DF recebem R$ 2 mil em doações

Dinheiro será utilizado na compra de alimentos para as 57 pessoas que foram hospedadas em hotéis no Pistão Sul

atualizado 07/01/2022 15:21

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Os moradores do prédio que desabou parcialmente em Taguatinga Sul nessa quinta-feira (6/1) receberam cerca de R$ 2 mil em doações via PIX. Ainda na noite do incidente, os desabrigados foram encaminhados aos hotéis da rede Positano e Star pelo dono do imóvel, onde ficarão até domingo (9/1). O dinheiro será utilizado para a compra de alimentos.

“A gente está bem. Está todo mundo com vida, ninguém se machucou. Só estamos sem nada”, resume Cristiane Nascimento, de 43 anos.

0

Ao todo, 57 pessoas foram levadas em dois ônibus do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) aos endereços. A corporação também doou duas mil máscaras N95 aos desabrigados.

“Agora mesmo eu comprei almoço para todo mundo. O dinheiro que entrou vai ser gasto com almoço e janta. Infelizmente, os restaurantes não podem nos ajudar, nem dando desconto na compra de 50 marmitas. Será gasto R$ 750 no almoço e o mesmo valor na janta. Recebi um total de R$ 2 mil de pessoas que a gente não conhece e de pessoas da minha família também”, conta a manicure.

A área ao redor do prédio de cinco pavimentos e quatro andares localizado na QSE Área Especial 20, Lote 20, em Taguatinga Sul, permanece isolada e é monitoria pela Defesa Civil do Distrito Federal.

Por meio de nota divulgada nesta sexta-feira (7/1), o dono do imóvel, Edilson Albuquerque, lamentou a tragédia, mas não fez comentário algum sobre a situação irregular do edifício, que não tem Habite-se e alvará. Segundo moradores, o valor do aluguel no prédio variava entre R$ 750 e R$ 1,2 mil.

Sem alvará

O prédio não tinha alvará de construção ou carta de Habite-se, ou seja, era irregular. A informação foi confirmada ao Metrópoles pelo Governo do Distrito Federal. Ainda segundo o GDF, a obra não foi autorizada pela Central de Aprovação de Projetos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) e sequer houve solicitação de licenciamento para o projeto.

“Morreu a esperança da gente”, afirma moradora de prédio que desabou

Já a Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal) informou que o único registro encontrado de ações fiscais no local trata-se de uma notificação por descarte irregular de resíduos.

Trabalho continua

Segundo o administrador de Taguatinga, Bispo Renato, as forças de segurança do GDF continuarão trabalhando em apoio às vítimas. “Nós vamos contar com a colaboração da população inclusive com alimentos”, espera.

Os postos do CBMDF e da Defesa Civil servirão de ponto de apoio a fim de recolher doações para os moradores.

Além disso, uma das moradoras disponibilizou o endereço QSE 7 casa 35, rua do CEF 10, em Taguatinga, para receber doações. Pelo PIX (61) 98408-6817 (celular) também é possível ajudar.

 

Mais lidas
Últimas notícias