Família pede ajuda para mãe que perdeu filha em incêndio no DF

Menina de 2 anos morreu e será enterrada nesta terça (25/02/2020). Criança não resistiu às chamas que destruíram residência em Samambaia

atualizado 24/02/2020 18:38

O velório de Kyara Pereira, 2 anos, morta em incêndio residencial em Samambaia na noite de domingo (23/02/2020), está marcado para as 15h desta terça-feira (25/02/2020). A despedida será no Cemitério Campo da Esperança de Taguatinga. Agora, amigos e parentes pedem o apoio da população para ajudar a família a se reerguer.

“Eles perderam tudo. Documentação, roupa, tudo. Estamos vendo com assistentes sociais se conseguimos alguma ajuda. A família está se reunindo para fazer o velório da bebê. Qualquer ajuda vai ser muito bem-vinda”, desabafou o encarregado de manutenção José André da Silva, 43, tio de Romária Pereira da Silva, 31, mãe de Kyara.

Ainda segundo o encarregado de manutenção, o caixão ficará fechado no decorrer da cerimônia “pela situação como está o corpinho dela”.

Romária e o companheiro, Daniel Pereira Lopes, 35, tinham saído para ir à padaria. Eles deixaram na residência Kyara; uma bebê de 6 meses – que sofreu queimadura de 2° grau no rosto e braço; e um menino de 4 anos – que teve 70% do corpo atingido pelas chamas.

Quando o casal voltou ao imóvel e viu as chamas, o homem entrou no local para salvar os pequenos. Ele teve 95% do corpo queimado e permanece na UTI do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), inconsciente.

Com relação às crianças internadas no Hospital de Base, José André destacou que a situação mais crítica é a do menino de 4 anos, que também teve boa parte do corpo queimado.

Michael Melo/Metrópoles
Casa em Samambaia onde houve incêndio que matou Kyara e deixou duas crianças gravemente feridas com queimaduras. O padrasto da menina morta também foi atingido pelas chamas

“Ele amava as crianças, como se fossem dele, os três. Tanto que ele está aí (no hospital), porque entrou para salvar os três”, frisou Jaqueline Pereira, irmã de Daniel.

O estado de saúde dele é delicado. “Ele está debilitado, é grave. O pulmão e os rins estão comprometidos e ele está com quadro infeccioso”, lamentou Jaqueline.

Segundo a família, a cirurgia da filha de Daniel no Hospital de Base acabou bem. A bebê de 6 meses está se recuperando do procedimento, mas o quadro também é grave.

O caso

O fogo na residência localizada no Conjunto 17 da QR 425 de Samambaia começou por volta das 20h de domingo (23/02/2020). De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), cinco pessoas receberam atendimento.

Kyara morreu no imóvel. A mãe das crianças, Romária, estava em estado de choque e foi encaminhada ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas já saiu da unidade de saúde.

Equipes do CBMDF e do Instituto de Criminalística, da Polícia Civil (PCDF), já fizeram as perícias, porém, os resultados podem demorar até 30 dias para ficarem prontos. A residência teve quatro cômodos totalmente queimados: sala, cozinha e dois quartos.

Ajuda dos vizinhos

Os moradores da rua que aconteceu a tragédia tentaram apagar as chamas. Conforme relato de uma das vizinhas do casal, que preferiu falar sob anonimato, chovia muito no momento em que o fogo se alastrou pelo imóvel.

“Senti um cheiro forte de fumaça e pensei que pudesse ser da minha casa. Quando saímos no portão, vimos aquela fumaça densa e escura na casa deles. Foi desesperador. A vizinha de porta acordou com o cheiro e não parava de gritar pedindo por socorro”, ressaltou.

No mesmo momento, a mãe da criança vinha andando na rua e foi avisada de que a residência estava pegando fogo. “Começamos a bater forte no portão por imaginar que as crianças estavam lá dentro. A Romária rolava na água da chuva no asfalto para se molhar e entrar na casa”, diz a vizinha.

Outro vizinho, que também não quis revelar a identidade, comentou ter visto Daniel dentro do imóvel. Ele conseguiu abrir o portão e saiu bem queimado.

Isqueiro

Romária acha que uma brincadeira com isqueiro pode ter iniciado as chamas, de acordo com relato da corretora Jessica Santos, 35, tia da mãe das crianças. “Provavelmente, ela acredita que um dos filhos deve ter brincado com o esqueiro”, contou.

Daniel  é fumante e, segundo a tia de Romária, o isqueiro costumava ficar em cima do rack. “Foi muito rápido. Em questão de dois minutos a casa estava em chamas”, pontuou. Ele é padrasto de Kyara e do menino de 4 anos e pai da bebê de 6 meses.

Quem quiser ajudar pode depositar recursos na conta de José André:

Banco do Brasil
Agência: 2883-5
Cc: 17771-7

Ou ligar para ele: 99175-3175

Últimas notícias