Monitora de creche que arremessou criança é indiciada por tortura

Polícia de Goiás entendeu que o sofrimento da criança em decorrência dos maus-tratos configura o crime. Docente responde em liberdade

atualizado 02/03/2020 18:01

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) indiciou a funcionária de uma creche em Cidade Ocidental (GO) pelo crime de tortura contra uma criança de 3 anos. O caso aconteceu em janeiro e as investigações comprovaram que a monitora acusada jogou o menino no chão. Ela responde em liberdade ao processo.

O caso no Entorno ocorreu meses após a Secretaria de Educação apurar denúncia de maus-tratos a criança em creche no DF.

Conforme conta o delegado responsável pelo caso, Daniel Marcelino, os pais da criança foram até a delegacia no começo do ano após perceberem que o filho voltou para casa com vários hematomas no corpo. “Pegamos as câmeras de segurança, mas o circuito não conseguia mostrar muita coisa. Mesmo assim, com a imagem que conseguimos, foi possível comprovar que, de fato, ela realizou a agressão”, explica.

Daniel conta que o grande sofrimento do garoto em decorrência do caso é suficiente para configurar o crime de tortura. Apesar de não haver outras denúncias, ele afirma que é possível pedir, por exemplo, a interdição da creche.

“Observamos que havia uma certa omissão de todos com briga entre crianças. O Ministério Público está ciente e podemos ver outras providências a serem tomadas”, afirma o delegado Daniel Marcelino. Nas imagens, diz o delegado, é possível ver a monitora chegando a um local onde a criança estava deitada e ela sendo arremessada no meio da sala.

Últimas notícias