Parque Tecnológico traz debate sobre inovação na administração pública

Evento promovido nesta terça-feira (25/9) discutiu as principais propostas para uma “cidade inteligente e conectada”

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 25/09/2018 19:14

Entusiastas das novidades tecnológicas se reuniram para debater o futuro da tecnologia na administração pública, nesta terça-feira (25/9), em evento promovido no Parque Tecnológico Biotic de Brasília. O 2º Diálogo Biotic discutiu como a inovação poderá impactar diretamente a forma de governo e a vida do brasiliense para criar uma “cidade inteligente”. 

Para o evento, foram convidados servidores e funcionários da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), do Sistema Fibra Sesi e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), além de advogados, juristas, professores da Universidade de Brasília (UnB) e empresários da área da tecnologia da informação.

Representando o Governo do Distrito Federal, Júlio César de Azevedo Reis lamentou a ausência do governador, Rodrigo Rollemberg, incapacitado de participar da programação por estar em campanha eleitoral, mas comemorou os avanços conquistados por ele.

Uma das grandes vitórias de seu governo foi a construção deste parque tecnológico. Estamos imersos em uma cultura que valoriza mais os problemas do que as soluções. Portanto, o objetivo desta tarde é discutir soluções para a administração pública

Júlio César de Azevedo Reis

O discurso de abertura também contou com a participação do presidente da Biotic, Mário Henrique Lima. Para ele, discutir as novas tecnologias no campo governamental é uma necessidade. “O futuro não vai chegar sem inovação tecnológica. Procuramos crescer a partir de um projeto que traga dignidade para o cidadão brasileiro.”

Convidados-
A dinâmica do 2º Diálogo Biotic era discutir, de maneira interativa, quais as melhores propostas para o campo da administração pública. Marcado por rápidas apresentações e rodadas de discussão, o debate trouxe renomadas figuras da área da tecnologia da informação apresentando suas ideias.

O advogado Eduardo Toledo foi um dos convidados. O jurista defende que a “legislação segue na contramão da inovação”. Para ele, é importante “automatizar o sistema judiciário, trazendo maior agilidade aos processos burocráticos”.

Toledo é um dos idealizadores do projeto Victor, de automatização de processos judiciários. A novidade permitiu diminuir o tempo demandado de 30 minutos para apenas 5 segundos, levando a uma economia de R$ 6 milhões. “Nosso objetivo é realmente estimular outros órgãos a se automatizarem”, finalizou.

“Mais celular que gente”
“O ritmo mudou. O rádio levou 38 anos para atingir 50 milhões de ouvintes. A televisão demorou sete anos. Já o jogo de smartphone Pokémon GO precisou de só sete dias para conseguir 50 milhões de usuários”. Foi com essas palavras que o palestrante Luis Henrique Pontes abriu seu discurso.

Ele classificou o país como “altamente conectado” e disse ser “mais fácil encontrar um brasileiro que tenha celular do que saneamento básico em casa”. “Hoje em dia, temos mais celular que gente no país. Se levarmos em consideração o índice demográfico, de aproximadamente 209 milhões de brasileiros, tínhamos o mesmo número de telefones comprados já em 2015”.

Parque Tecnológico Biotic
Inaugurado em 21 de junho deste ano, o prédio possui 10 mil metros quadrados de área construída e teve investimento total de cerca de R$ 40 milhões, provenientes da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP/DF).

O Biotic tem capacidade para abrigar 1,2 mil empresas. A expectativa é que possa gerar aproximadamente 25 mil empregos diretos. O empreendimento é uma parceria entre a Secretaria de Economia e Desenvolvimento, Inovação, Ciência e Tecnologia (Sedict), a Secretaria Adjunta de Ciência, Tecnologia e Inovação (Sacti), a Terracap e a Federação das Indústrias do DF (Fibra).

Últimas notícias