Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Por falta de médico, servidora apanha de paciente em UBS da Ceilândia

A técnica de enfermagem Débora Evelin estava atendendo na UBS 9 (P Sul) e levou socos após informar não haver psiquiatra na unidade

atualizado 22/06/2022 18:54

Material cedido ao Metróples

Uma servidora da Secretaria de Saúde foi agredida, nesta quarta-feira (22/6), após informar para uma paciente que não havia médico para trocar uma receita na Unidade Básica de Saúde 9 (UBS) de Ceilândia, localizada no P Sul.

A técnica de enfermagem Débora Evelin, 35 anos, atuava na triagem da unidade e acabou levando socos de uma mulher, de 52, após informar que não haveria psiquiatra para assinar receita de psicotrópico.

“Eu estava atendendo e aí chegou essa paciente, gritando, acho que já chegou em surto. Ela pedia para trocar a receita, mas eu falei que não tinha como trocar essa receita agora, porque não havia psiquiatra. Mas ela falou: ‘Você vai trocar’. Eu estava de cabeça baixa e, quando levantei o rosto, ela já veio com um monte de soco em mim, acho que ela estava com alguma coisa na mão”, relatou (veja o vídeo abaixo).

“Quando falaram que chamaram a polícia, ela fugiu. Não conseguiram segurar ela. Mas ela estava gritando muito dentro da UBS”, continuou

O caso é investigado pela 23ª Delegacia de Polícia (Ceilândia) e a agressora já foi identificada, embora tenha fugido do local após o crime de lesão corporal.

Débora foi encaminhada para realizar exames no Instituto Médico Legal (IML).

Veja o vídeo:

Outro caso

Segundo Debora Evelin, outra colega da Secretaria de Saúde também sofreu agressão, na segunda-feira (20/6), por um paciente e por motivos parecidos. Ambas se encontraram na unidade policial de Ceilândia.

Essa ocorrência também foi registrada na 23ª DP e a servidora acabou precisando imobilizar o braço machucado.

Procurada, a Secretaria de Saúde confirmou ter sido notificada sobre o caso e afirmou que a profissional foi atendida na própria unidade e orientada a registrar um Boletim de Ocorrência.

“A pasta repudia atos de violência e ressalta que desacato a servidor público no desempenho de suas funções pode configurar crime, previsto no código penal”.

Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias