Por que parte do PSL-DEM quer tanto Sergio Moro candidato em 2022

A estratégia em relação ao ex-juiz tem sido baseada em pesquisas eleitorais qualitativas às quais caciques do União Brasil tiveram acesso

atualizado 08/10/2021 17:58

Sérgio MoroHugo Barreto/Metrópoles

Parte da cúpula do União Brasil, novo partido que nasce da fusão do PSL com o DEM, trabalha ativamente nos bastidores para que o ex-ministro Sergio Moro seja o candidato da sigla à Presidência da República em 2022.

O desejo é baseado em pesquisas eleitorais qualitativas às quais esses caciques tiveram acesso. Os levantamentos mostrariam que a agenda do pleito de 2018, sobretudo o combate à corrupção, ainda tem bastante apelo.

Com esse diagnóstico, uma ala da cúpula do União Brasil avalia que o ex-juiz tem condições de ser o principal catalisador dessa pauta, que foi uma das principais bandeiras de Jair Bolsonaro em 2018.

“O Bolsonaro era o personagem dessa pauta em 2018, mas foi o Moro quem inaugurou o discurso”, avaliou a coluna o deputado federal Junior Bozzella (SP), que será vice-presidente do União Brasil.

Para Bozzella, o atual presidente da República não tem mais como representar a pauta, pois não a defendeu após ser eleito. “O Bolsonaro virou Centrão”, provoca o parlamentar, que tem mantido conversas frequentes com Moro.

 

 

Últimas notícias