*
 
 

Hoje, é quase impossível estar entre um grupo de garotas e não ouvir discussões sobre empoderamento feminino, direitos das mulheres e militância feminista.

O que te impede de lutar?
O que te impede de falar?
Pare de se esconder
Você não é pior que ninguém

Punk rock não é só pro seu namorado
Punk rock não é só pro seu namorado

Há 20 anos, todo esse mosaico de temas já era a base de criação da banda Bulimia, que, entre 1998 e 2001, estremeceu o concreto de Brasília com som irado e letras de primeira grandeza.

A vida curta e intensa do Bulimia nasce de um desejo urgente de se posicionar diante do mundo, a partir do lugar de fala de quatro garotas, e se fecha por uma tragédia, que encerra as atividades em fevereiro de 2001, quando a baterista e fundadora do grupo, Berila, morre afogada ao lado do namorado, em Alto do Paraíso (GO).

Você sempre quis tocar
Você sempre quis andar de skate
Você que sempre quis, quis, quis
Você não é um enfeite

Punk rock não é só pro seu namorado
Punk rock não é só pro seu namorado

Entre vida e morte da Bulimia, há um tesouro: o álbum Se Julgar Incapaz Foi o Pior Erro que Cometeu, uma obra-prima do punk rock feminino/feminista do DF, do Brasil, da América do Sul, e, quiça, do mundo.

Até hoje, bandas punks fazem cover de canções como o hino Punk Rock (Não É Só Pro Seu Namorado), que já ganhou versos diversos, como Punk Rock (Também é Pra Viado). No rastro da Bulimia, vieram outras bandas femininas e fanzines, como Dominatrix, Cólica, Kaos Klitoriano e TPM…

Faça o que tiver vontade
Mostre o que você pensa
Tenha a sua personalidade
Não se esconda atrás de um homem

Punk rock não é só pro seu namorado
Punk rock não é só pro seu namorado

Chegou a hora

As garotas do grupo, inconformadas com o machismo estruturado em casa, na rua, na universidade e, claro, no próprio punk rock, eram: Iéri (vocal), Bianca (guitarra e vocal), Silvia e Naiana (elas se revezavam no baixo e vocal) e Berila (Bill – bateria).

Os vocais gritados e potencialmente agressivos se avolumavam com o instrumental compulsivo, formando uma massa sonora única e de energia contagiante. O álbum, de 15 faixas potentes, traz essa energia, que já tinha sido captada em demos, dos shows ao vivo que Bulimia fazia numa Brasília pós-rock comportado do Cassino do Chacrinha.

A banda surgiu da urgência de Bianca e Berila em colocar o protagonismo feminino na rota do rock Brasília. Naquele final dos anos 1990, a dificuldade era encontrar garotas que tocassem instrumentos na capital do poder e tivessem atitude punk-rocker. Portanto, o grupo nasce de uma intimidade e unidade fortes. O nome Bulimia surgiu a partir da doença de modelos que se violavam para se manter magras no mercado de trabalho.

Atualíssima, Bulimia inspira bandas como Demônia (PE) e Sei Pai Já Sabe (PR).

 

Bulimia tinha um interesse político tão surpreendente quanto a vontade de expressá-lo por meio do punk rock contestador. Nesse sentido, o vocal rasgado de Iéri servia perfeitamente aos propósitos da banda. Era estridente e pouco agradável aos padrões de vozes femininas na música brasileira.

O que eu tinha claro é que não queria nem cantar como um anjo nem forçar a barra e imitar os berros dos caras. Eu também queria incomodar, em todos os sentidos, tirar as pessoas da sua zona de conforto, musical inclusive"
Iéri

Bulimia queria politizar garotas. Conscientizá-las sobre a importância de ter uma postura feminista e, ao mesmo, instigá-las a montar bandas. Bianca era o cérebro contagiante. Ela convenceu Berila, Iéri e Silvia, que estava começando a dedilhar o baixo. O texto de convencimento de Bianca virou letra do hino Punk Rock (Não é Só pro Seu Namorado).

Queríamos falar do sexismo e da misoginia dentro da cena punk, que era nosso mundo. E não tínhamos nenhum interesse em falar sobre isso da perspectiva dos caras, eu queria abrir uma comunicação direta com as meninas! Não me interessava pedir para os carinhas que deixassem de ser machistas, eu queria que as minas não o fossem! Que elas entendessem que o lugar que estava reservado para elas na sociedade não era a único para se estar! Que ser mulher era ser qualquer coisa que elas quisessem ser.

A morte de Berila
Era para ser um banho de piscina natural no Vale da Lua, na Chapada dos Veadeiros, a 300 quilômetros de Brasília, mas culminou na morte de Maria Berila Gandolfo Conceição, 26 anos, e seu namorado, o paulista Fábio Cabral da Silva, 26. Aparentemente, Fábio começou a se afogar (estava a uma profundidade de oito metros) e Berila decidiu salvá-lo. A morte da baterista aconteceu às vésperas do lançamento do primeiro CD da Bulimia. Fábio tinha vindo para Brasília comemorar com a namorada.

Letras são ponto alto
As letras da Bulimia são o testamento político da banda e falam incrivelmente de atualidades que ainda massacram o país e a capital do poder.

Negligencia Social

Toda madrugada quando saio pro trabalho, leio nas colunas sociais que o seus cadarços
Valem mais que o meu salário, ralo todo dia e ainda tenho que contribuir
Bancando suas campanhas, construindo os seus palácios
Meu patrocínio involuntário
Foi sutilmente arrecadado
Pelo Ministério da fazenda, GDF, Inventários…

Orgulho do Brasil

Crianças arregaçadas ralando o Tchan na TV
Num programa brega de um dá cu do SBT
Um velho assiste e baba atiçando sua tara
Crianças estupradas desconhecem o porquê
Nós apoiamos a prostituição infantil
Nós somos o é o Tchan do Brasil
Apoio não existe pra quem fala de política
Só pra quem arregaça o cu e não expõe nenhuma crítica
Mais uma loira burra, mais uma Xuxa na TV
Será que a molecada quer brincar ou quer fuder?
Nós apoiamos a prostituição infantil, nós somos o é o Tchan do Brasil

Nosso Corpo Não Nos Pertence

Moralistas sempre querendo nos proibir nos inibir de todo prazer
Usam Deus para nos fazer broxar nos cercam de fantasmas
Você está sendo vigiada!
Masturbação é tabu, é anormal, é pecado
Fora isso só podemos consumir as drogas fornecidas pelo estado
Nosso corpo não nos pertence
Libertação sexual é só uma farsa voltada aos interesses dos homens
Unicamente aos interesses dos homens
Aborto é crime, suicídio é ilegal
Fora isso só podemos consumir as drogas fornecidas pelo estado
Nosso corpo não nos pertence! (3x)
NãããããããããO!
Liberte-se!

Respeite a Escolha de Qualquer Pessoa

Admire a sinceridade e a coragem de alguém dizer
O que sente num mundo onde a repressão e o preconceito dominam.
A discriminação da sociedade não pode impedir,
Não pode impedir de ver…
A beleza que é colocar o sentimento à frente.
Viver a sua vida e não fantasiar, ser o que não é e só fazer besteira
Porque nada disso é o que você quer, porque nada disso lhe importa

Não seja mais um covarde; à apoiar essa repressão
Liberte-se!! (2x refrão)



 


punk rockbulimiafeminista