Abin prevê até 14.830 casos de coronavírus no DF em duas semanas

Dados da Agência Brasileira de Inteligência foram obtidos após análise do cenário epidemiológico da doença em outros países

Sistema do centro de monitoramento do coronavírus no GDFRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 26/03/2020 11:46

Um relatório sigiloso da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) revela que, no pior cenário, o Distrito Federal pode registrar 14.830 casos confirmados do novo coronavírus em até duas semanas. Os dados foram alcançados a partir de uma comparação de cenários baseados nas curvas epidêmicas do Irã, da Itália e China, países onde a crise foi avassaladora.

O Metrópoles teve acesso ao estudo oficial elaborado no último dia 23 de março. Para a próxima semana, baseado no mesma analogia, o órgão de inteligência federal calcula até 1.434 pacientes com a nova doença no território distrital.

Quando a Abin se baseia no quadro epidemiológico da Alemanha e França, o cenário previsto para o Distrito Federal é de até 831 pacientes com a Covid-19 nos próximos sete dias. Quando a projeção leva em conta as duas semanas subsequentes, esse número salta para 5.117. O órgão não especifica as projeções de óbitos locais por causa da nova doença.

“Os cenários mostram que a China conseguiu diminuição na taxa de crescimento cerca de 10 e 15 dias depois da adoção de medidas de contenção, inclusive com lockout (fechamento da entrada e saída de pessoas) em municípios e cidades. A partir desse período, o número de casos novos parou de crescer na mesma taxa e o número de casos ativos começou a reduzir em função da melhora dos pacientes mais antigos”, registra o documento.

Veja os números:

0
Leitos de UTI

O mesmo documento também aponta que, caso a doença se comporte em Brasília tal qual em países como a China, em uma semana 72 pacientes estarão internados em unidades de terapia intensivas (UTI). No cenário para os próximos 15 dias, o número passa para 742.

Caso o vírus tenha o mesmo quadro epidemiológico da Alemanha, esse número cai: em uma semana, seriam 51 pacientes em UTI e, nos próximos 15 dias, a agência prevê 314 doentes em estado grave.

Veja o quadro:

Óbitos no Brasil

No caso de óbitos em todo o país, a agência prevê 5,5 mil mortes por causa do novo coronavírus (Covid-19) dentro de duas semanas, também com base no quadro da doença no Irã, na China e Itália. No segundo cenário, contudo, esse número cai para 2.062 mortes.

Além de 5,5 mil mortes, a agência também estima mais de 207,4 mil casos confirmados da doença no Brasil. Isso tudo até o próximo dia 6 de abril, segundo os informes.

Números do DF

Independentemente de todas as projeções feitas pela Abin, foram confirmados, no DF, nessa quarta-feira (25/03), nove novos casos de coronavírus. O número de pacientes com a Covid-19 na capital do país chegou a 191.

A maioria dos pacientes é do sexo masculino, 116, e não está no grupo considerado de risco, de pacientes acima de 60 anos.

Vinte e quatro pacientes possuem mais de 60 anos e integram o grupo que corre maior risco de complicações com a contaminação. Entre os infectados, há 29 pessoas com idades entre 51 e 59 anos.

O maior grupo, no entanto, é o de pacientes de 31 a 40 anos: 48. Há ainda cinco casos de jovens com idades entre 11 e 20. A maior parte dos casos foi classificada como infecções leves: 117. Duas pessoas não tiveram a idade divulgada.

Segundo o boletim, há seis pacientes considerados graves e cinco críticos.

Últimas notícias