Donizet assume a Administração do Gama e Kelly Bolsonaro vai para a CLDF

Conhecida por sua atuação em protestos pró-impeachment de Dilma Rousseff, ativista de direita assumirá o posto deixado pelo deputado

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 23/05/2019 22:06

O deputado distrital Daniel Donizet (PSDB) deixará o posto na Câmara Legislativa (CLDF) para assumir o comando da Administração Regional do Gama. Na vaga, entra a suplente Kelly Bolsonaro (Patriota). Embora tenha o mesmo sobrenome do presidente da República, ela não tem parentesco com o capitão da reserva – o “Bolsonaro” foi adotado por “afinidade política”.

“Nasci e cresci no Gama. Toda minha família mora lá. Quero cuidar da cidade que amo. Mas não vou me afastar dos projetos que assumi em todo o DF”, afirmou Donizet à Grande Angular. A mudança deve ser formalizada na próxima semana.

Ele assumirá o posto após protagonizar confusão com a antecessora. No último dia 24 de abril, o clima entre Daniel Donizet e a então administradora do Gama, Juliana Navarro, esquentou. Em plenário, o distrital acusou a gestora de ameaçá-lo e a ofendeu, chamando-a de “débil mental” e de “merda”.

A suplente Kelly Bolsonaro chega à CLDF após ganhar o noticiário em 2016. Durante evento no Palácio do Planalto, ela invadiu o Encontro com Mulheres em Defesa da Democracia, vestindo uma camisa com os dizeres “Impeachment é democracia”, mas acabou expulsa por seguranças.

Ainda em 2016, Kelly Bolsonaro foi alvo de denúncia no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). Ela é suspeita de ter organizado um ato de direita na Universidade de Brasília (UnB) que terminou em conflito com estudantes.

Na disputa por vaga de distrital, ela teve 5.142 votos e ficou com a suplência que, agora, rendeu a cadeira na CLDF.

SOBRE OS AUTORES
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Gabriella Furquim

Formada em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), com experiência em redação, assessoria de imprensa e gestão de comunicação. Atua na área desde 2009. Integrou as equipes de reportagem e edição dos jornais Correio Braziliense e Aqui DF. Em 2014, coordenou a comunicação da Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente, Seção Defence for Children Brasil (Anced/ DCI Brasil), e do projeto internacional Red de Coaliciones Sur. De 2015 a 2017, foi assessora de imprensa do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

Últimas notícias