SP: manifestantes entram em confronto com a polícia em ato pró-democracia

Agentes lançaram bombas de efeito moral contra participantes do ato. Grupo tem integrantes de torcidas organizadas

manifestantes entram em confronto com a polícia em SPROBERTO SUNGI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 31/05/2020 16:48

Um grupo de manifestantes pró-democracia realizava ato na tarde deste domingo (31/05), na Avenida Paulista, em São Paulo, quando entrou em confronto com a polícia. A maioria dos participantes estava vestida de preto e usava máscaras.

O grupo ocupava faixa da via sentido Consolação, na frente do Masp, e o vão livre do museu. Antes de chegarem ao local, aproximadamente às 12h, os manifestantes fizeram uma caminhada. No percurso, entoavam gritos em defesa da democracia. A Polícia Militar acompanhava o movimento, que até então ocorria de forma pacífica.

Na mesma região, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) faziam ato em defesa do governo. Por volta das 14h, integrantes dos dois grupos entraram em confronto e a PM precisou intervir.

0

Os agentes usaram bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes. Algumas pessoas deixaram o local, mas outras revidaram – jogaram pedras nos policiais e colocaram fogo em lixeiras.

A organização que planejou o ato envolve grupos antifascistas ligados a torcidas organizadas de futebol – de times como Palmeiras, Corinthians, São Paulo e Santos –, em conjunto com movimentos sociais.

A maioria dos manifestantes usa máscaras, mas há diversas pessoas descumprindo as orientações de autoridades sanitárias para manter distanciamento social, uma das medidas de contenção ao avanço do novo coronavírus.

Rio de Janeiro

Manifestantes de grupos a favor e contrários ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) entraram em confronto neste domingo, na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

O grupo que protestava contra o mandário do país, que contou com a participação de torcida organizada do Flamengo, vestia preto e trazia uma faixa com os dizeres: “Democracia rubro-negra”.

Eles se aproximaram de um outro protesto, a favor do presidente, e entraram em confronto com a Polícia Militar. Os agentes de segurança usaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. (Com Agência Estado)

Últimas notícias