Rodrigo Maia pede ao TSE desfiliação do DEM sem perda de mandato

Ação pede que o político deixe o partido sem perder o mandato de deputado federal, conquistado em 2018

atualizado 14/05/2021 13:38

Rodrigo MaiaRafaela Felicciano/Metrópoles

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) enviou nesta sexta-feira (14/5) ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, um pedido de desfiliação do Democratas, partido onde está desde 2007 – quando o então PFL (ao qual Maia era filiado) mudou de nome.

A informação foi divulgada pela coluna Lauro Jardim, do jornal O Globo, e confirmada pelo Metrópoles.

A ação trata-se de uma “ação declaratória de justa causa de desfiliação”. Ou seja, Rodrigo Maia quer deixar o DEM e, se for concedida a justa causa, não perder por infidelidade partidária o mandato de deputado federal conquistado em 2018. Ele foi presidente da sigla entre 2007 e 2011.

Maia já foi presidente do partido entre 2007 e 2011, e bateu de frente com o atual comandante da legenda, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto.

Ainda não há confirmação sobre o novo partido de Rodrigo Maia, mas ele deve se transferir para o PSD.

Últimas notícias