Frota: governo tem entre 320 e 340 votos para aprovar Previdência

Segundo o parlamentar, deputados do PSL fecharam questão pela reforma e, além disso, não votarão em nenhum destaque de outros partidos

atualizado 09/07/2019 18:21

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O coordenador de bancada do PSL na comissão especial da reforma da Previdência, Alexandre Frota (SP), disse nesta terça-feira (09/07/2019) que, segundo cálculos do partido, o governo tem entre 320 e 340 votos no plenário da Câmara dos Deputados.

Além das contas da sigla, o levantamento é feito por uma consultoria política em São Paulo, informou Frota. Na noite dessa segunda (08/07/2019), o deputado e o líder do PSL na Câmara, delegado Waldir (GO), contabilizaram 331 votos em uma lista colocada na sala do gabinete.

Questionado se o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), vem ao Congresso nesta terça-feira para o início da análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, Frota disse que “tem que perguntar para quem anda com ele”. “Eu fico aqui”, completou.

Segundo o parlamentar, deputados do PSL fecharam questão pela Previdência e não votarão em nenhum destaque de outros partidos, mesmo que haja textos que alterem as regras de aposentadoria de integrantes da segurança pública.

Para a PEC ser encaminhada ao Senado, a proposta deve ser aprovada em dois turnos, com ao menos 308 votos dos 513 congressistas. Depois disso, a matéria segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e, em seguida, para apreciação em dois turnos pelos senadores. São necessários 49 votos dos 81 parlamentares.

Últimas notícias