Toffoli dá 5 dias para Moro e PF responderem se investigam Greenwald

Presidente do STF deu despacho em ação da Rede Sustentabilidade. Pedido é para que confirmem ou desmintam que jornalista é alvo de apuração

Foto: Michael Melo/MetrópolesFoto: Michael Melo/Metrópoles

atualizado 15/07/2019 22:51

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, pediu ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e à Polícia Federal ( PF ), que respondam em no máximo cinco dias se, afinal, há alguma investigação em andamento contra o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil.

O despacho responde a pedido da Rede Sustentabilidade para anular eventuais procedimentos que possam ter sido abertos com Greenwald como alvo. As informações são de O Globo.

O jornalista norte-americano, que mora no Brasil desde 2005 e é casado com o deputado federal David Miranda (PSol-RJ), é fundador do site The Intercept Brasil. O veículo on-line vem divulgando, desde 9 de junho, em parceria com vários outros órgãos de comunicação do país, trocas de mensagens atribuídas a Moro, então juiz na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, e aos procuradores da força-tarefa.

Nem sim nem não

Segundo o site O Antagonista, a PF, subordinada hoje a Moro no papel de ministro, pediu ao Conselho de Controle de Atividades Financeira (Coaf) um relatório das atividades financeiras de Greenwald. Até agora, ninguém — Moro, PF, Coaf ou Ministério da Economia, ao qual o órgão é ligado — confirmou ou desmentiu a existência da investigação.

O relator da ação da Rede é o ministro Gilmar Mendes, mas o STF está de recesso em julho, e é responsabilidade do presidente da Corte tomar as decisões consideradas urgentes no período. Após o recebimento das explicações, Toffoli também quer que a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradora-Geral da República (PGR) se manifestem, em três dias.

Últimas notícias