Família de DJ preso como suspeito de hackear Moro fica chocada

A pedido da defesa, a Polícia Federal adiou depoimentos para quando o advogado que defenderá os acusados estiver em Brasília

atualizado 24/07/2019 0:04

Preso pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (23/07/2019) sob suspeita de ter hackeado celulares de autoridades, entre elas o ministro da Justiça Sergio Moro, o DJ Gustavo Henrique Elias Santos, 28, morador de Araraquara (SP),  já respondeu a processo sob acusação de porte ilegal de arma. A prisão deixou chocada sua família, que diz acreditar em um erro da investigação.

“Estou chocada, estou tremendo, tenho certeza que meu filho não está envolvido nisso, não. Eu acho que foi um erro tamanho”, disse à Folha de S.Paulo a mãe do rapaz, Marta Elias Santos. “Eu desconheço [o suposto envolvimento], não passa na minha cabeça uma coisa dessa.”

Santos é um dos quatro presos temporariamente pela Polícia Federal por suspeita de ter atacado celulares de autoridades como o ex-juiz e ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba.

Os quatro foram transferidos para Brasília e levados para a Superintendência da PF do Distrito Federal. A ação, batizada de Operação Spoofing, foi determinada pelo juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira.

Depoimento
Além dele, há uma mulher, cujo nome revelado é Suellen Priscila de Oliveira. A pedido da defesa, a Polícia Federal adiou o depoimento de ambos para quando o advogado que os defenderá, Ariovaldo Moreira, estiver em Brasília.

A PF prendeu também Walter Delgatti Neto, em Araraquara. Há ainda um quarto preso, de Ribeirão Preto, que não foi identificado.

O advogado de Santos, Ariovaldo Moreira, disse que conhece o rapaz há anos e nunca soube de envolvimento dele com atividades de hackers.

Sinais rastreados
A Folha apurou que a PF chegou aos suspeitos por meio da perícia criminal federal, que conseguiu rastrear os sinais dos ataques aos telefones. Para investigadores, o grau de capacidade técnica dos hackers não era alto.

Últimas notícias