Bolsonaro reúne-se com ministros para avaliar crise na Amazônia

Compromisso entrou na agenda oficial no meio da tarde, depois de um encontro com Paulo Guedes no Ministério da Economia

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 26/08/2019 17:52

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi ao Ministério da Defesa, na tarde desta segunda-feira (26/08/2019), para uma reunião de última hora sobre a crise provocada pelas queimadas na Amazônia. O compromisso entrou na agenda oficial no meio da tarde, depois de um encontro com Paulo Guedes no Ministério da Economia, que fica próximo à Defesa.

Foram ao local os ministros Ernesto Araújo (Relações Internacionais), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Sergio Moro (Justiça), Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo, e o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, atualizou Bolsonaro sobre a participação das Forças Armadas no combate aos focos de incêndio na região amazônica. O presidente autorizou, na sexta-feira (23/08/2019), o emprego de operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) aos estados que solicitassem ajuda.

Nove estados
Sete estados já solicitaram e foram incluídos na GLO. Nesta segunda, pela manhã, Amapá e Maranhão oficializaram o pedido, que é necessário fazer para poderem ser incluídos. São nove estados da Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Maranhão. Amanhã, os 9 governadores estarão presentes em uma reunião com Bolsonaro.

Nesse fim de semana, o presidente aceitou um avião com equipamentos oferecido pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. A logística da ação também ficaria sob responsabilidade da Defesa.

Últimas notícias